Total de visualizações de página

Translate

Google+ Followers

sexta-feira, 14 de julho de 2017

FALA NA COMEMORAÇÃO DOS EX ALUNOS DO COL. BENTO MOSSURUNGA - UMUARAMA - PR

  Emoção!   Pura emoção!
     Não há outra palavra para expressar nosso sentimento neste momento.
     Momento de Encontro, de rever tantos e tantos amigos que há tanto tempo não vemos.
     Não tem preço.  Não dá para explicar a sensação.
     É um doce tumulto de gente que se encontra, ergue os braços para um abraço firme e demorado, do tamanho da distância e  da força impulsionados pela saudade.
     Era isso que nós esperávamos e é isso que estamos vendo e sentindo agora.  É sorriso no rosto de todos.   É um tal de ir vendo grupinho aqui, grupinho ali, sempre nos cumprimentos e na prosa animada.   E põe animação!
     Tem momento que a gente fica até meio naquela:   - Vou circular um pouco mais para ver mais gente da nossa época.   Não posso perder um minuto sequer.
     Tanto tempo passou e tudo parece que foi ontem.   Volta o filme na cabeça de cada um em lembranças de tantos episódios que vivemos juntos no Bentão.
     Cada um quer saber por onde o outro tem andado, onde mora, se casou, se tem filhos, o que faz na vida.   É um verdadeiro balanço da vida de todos e de cada um.
     O balanço da vida tem de tudo um pouco, tudo junto e misturado (ou tudo juntis e misturadis como diria o saudoso Mussum Forevis).    Uma pitada de aventura, paquera, dor, amor, desencontros, encontros, ilusão, desilusão, conquistas, vitórias e segue a vida.
     Falar sobre o Bentão da nossa época de estudantes aqui é falar de época, lugar, pessoas queridas e coisas do lugar.
     Ruas de chão e poeira, periferia, professores, funcionários e diretores.   O prédio do colégio que nunca foi uma Brastemp, mas sempre foi uma casa simples e de coração pulsante com os jovens de ontem, de hoje e os que ainda virão.   Traz grandes recordações de tudo e em nós todos.
     Vários dos nossos professores da época até já não estão mais neste mundo.  Outros, já idosos estão por perto ou em locais distantes.    Foram convidados os que pudemos encontrar e estão presentes os que puderam vir celebrar conosco.
     Nosso carinho e nosso abraço a todos.
     (citar professores, diretores, funcionários....)
     Uma homenagem aos ex alunos, professores, diretores e funcionários que partiram desta dimensão, afinal a vida tem dessas coisas.   Nossa eterna lembrança.
     Hoje é um dia de magia e alegria, já que nosso Encontro é para celebrar juntos.   Cumprimentos calorosos, de sorriso nos lábios.    Se juntar em grupos, posar para fotos, anotar telefones, fazer selfies e já começar a pensar na pergunta que muitos já estão se fazendo:
     - Quando faremos o próximo Encontrão da Turma do Bentão?
     Mais tarde o pessoal aos poucos vai lembrando a distância de casa e começa o rito de despedida, de abraços com a alma leve  e a alegria de constatar que cada momento desse Encontro foi mágico.
     Foi mágico desde o momento que começamos o preparo, a programação, a ansiedade das vésperas e a chegada pra junto da galera reunida.
     É abrir os braços, respirar fundo, alcançar todos num abraço e dizer:
     - Obrigado meu Deus!
     Obrigado por me dar essa oportunidade de celebrar com tantos amigos de uma só vez.
     Turma do Bentão.   Turma do Coração.    Até a próxima ocasião.     Tchau!

     

quarta-feira, 12 de julho de 2017

BALANCETE ATUAÇÃO NO TERCEIRO SETOR

BALANCETE DA ATUAÇÃO NO TERCEIRO SETOR - VOLUNTÁRIO (Primeiro Semestre 2017)
     Engenheiro Agrônomo Orlando Lisboa de Almeida - Curitiba - PR

1 - Clube de Serviço - Secretário............... 21 reuniões;
2 - Senge Sindicato dos Engenheiros -
Conselheiro Consultivo................................ 8 reuniões
3 - Palestras assistidas no Senge com
especialistas da Universidade sobre
Mudanças na Previdência e Trabalhista ...... 3 reuniões
4 - Atuação como Conselheiro Titular no
CREA PR (cargo não remunerado)............... 6 reuniões
5 - Participação do Forum Lixo e Cidadania
no Ministério do Trabalho - apoio aos Catado-
res de recicláveis........................................... 1 reunião
6 - Participação em palestra da CEF Caixa
Econ. Federal sobre o Financ. Rural............. 1 reunião
7 - Participação na Câmara de Vereadores,
palestra/debate - Parto Domiciliar Assistido e
Parto Hospitalar - com autoridades no ramo
e lideranças de base da comunidade........... 1 reunião
8 - Encontros para troca de idéias sobre
livro lido no mês com leitores do IEP Insti-
tuto de Engenharia do Paraná..................... 4 reuniões
OBS - fiz quatro matérias para o blog visando
socializar as informações coletadas nas pa-
lestras. Datas de 17-03, 21-04, 06-05 e 6-06
www.resenhaorlando.blogspot.com.br
-----------------------------------------------------------------------------
Total de eventos no 1º Semestre/2017........ 45



quarta-feira, 7 de junho de 2017

CRÔNICA SOBRE OS EX ALUNOS DO COLÉGIO BENTÃO DE UMUARAMA, ANOS 80 - VAI TER ENCONTRO!


Por: Orlando Lisboa de Almeida (amigo da turma)

Faz pouco tempo que rolou uma pequena crônica sobre a apresentação da Fanfarra do Bentão (Bento Mossurunga) que foi vencedora do concurso de fanfarras no começo dos anos 80 em Umuarama. Foi uma apresentação memorável.
Dia destes, a turma de ex alunos dos anos 80 resolveu se articular com ajuda das redes sociais, para um Encontro em Umuarama-PR para celebrar os 40 anos da turma da Fanfarra e dos que não tocavam na fanfarra mas eram alunos da época. Será dias 15/16-06-17 (feriado)
Há um punhadinho desse pessoal espalhado pelo Brasil afora e uns deles, em Curitiba-PR.
Vai que a Edineia resolveu dar uma busca no Santo Google para obter dados do Bentão e pimba! Achou lá a crônica que falava daquela apresentação campeã e ficou inclusive muito emocionada, afinal ali continha fatos que ensejavam grandes recordações, pois ela estudou no Bentão, jogou em várias modalidades esportivas lá no colégio e tocou na Fanfarra também. 
Ela buscou na internet e achou o telefone do cronista amador aqui e ligou. Emocionada! Fez um convite para nos encontrarmos em Curitiba onde moramos, para nos conhecer e articular alguma coisa para convidar mais ex alunos e relembrar fatos da época.
No primeiro encontro, este cronista e dois ex alunos, a Edineia e o Benê. Foi um ótimo bate papo e muitas recordações com boas gargalhadas.
Um segundo encontro, desta vez com mais gente: A Edineia trouxe o irmão dela, Zé Carlos, também ex aluno do Bentão. O Benê trouxe um filho e foi uma nova etapa de boas recordações e um colocar a prosa em dia. E a Rosália, também ex aluna, super animada com o encontro que será em Umuarama.
Dias atrás, o terceiro encontro de apronto para o Dia D que será em Umuarama. O encontro foi na casa da EDINEIA que nos recepcionou com um caprichado café da tarde e dá-lhe prosa, desta vez num grupo maior ainda. Desta vez esteve presente inclusive o Professor PLINIO, que atua como empresário no litoral do Paraná e é um dos ex alunos da época. Também o BRAGUINHA, que veio com a companheira dele e residem em Curitiba. ZÉ CARLOS, irmão da Edineia e ex aluno; o BENÊ e a ROSÁLIA. 
A turma participa de um animadíssimo grupo de WhatsApp que está fervendo por conta da proximidade da data festiva lá em Umuarama-PR. Uma expectativa enorme e com toda razão. Que venha o dia da festa e até lá!

quarta-feira, 31 de maio de 2017

SOBRE O DISCURSO DA CAIXA PRETA DO BNDES (31-05-17)

Hoje eu estava lendo na Folha de São Paulo sobre o pedido de demissão da competente presidente do BNDES que foi cobrada pela classe empresarial por ser firme na condução dos negócios do banco. A grita dos empresários forçaram a saida dela. Daí surge um tema para reflexão. Logo que o Temer assumiu com apoio do que antes era oposição, tanto se falou em Caixa Preta do BNDES, etc. e tal. Agora vem a pergunta: Faz exatamente um ano que o Brasil está "sob nova direção" inclusive com a co-pilotagem de PSDB e DEM e nesse tempo não Revelaram Nada da Caixa Preta? A presidente que se demitiu, segundo consta no jornal, um dos incômodos que ela enfrentava sempre junto à imprensa era a pergunta sobre a Caixa Preta. Daí de duas uma: Ou a Caixa Preta existia e existe e ela e todo o Governo nada fez para tornar as coisas claras, ou a Caixa Preta é discurso de quem queria dar o golpe. E lembrar que os empresários sedentos ao pote derrubaram a guardiã do BNDES. Pois é.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

JORNAL FINANCIAL TIMES DOS USA PISA NA BOLA COM BALANÇO NO GOVERNO TEMER DO BRASIL


ESTA EU NÃO VI NOS NOTICIÁRIOS DE TV... e ao meu modesto modo de matutar, entendo que deveria ser pauta relevante nos noticiários de TV. Vejamos: Na Folha de SP de hoje, 19-05, página - caderno Mundo - página 1 no artigo do Nelson Sá com o título Também no Exterior, aposta em Temer levou a Tropeços". Diz que um articulista do poderoso NYT New York Times ironizou o concorrente Financial Times que na véspera de estourar essa "novidade" aqui envolvendo o Temer (e as gravações da JBS contra ele), não teve precaução em avaliar o andamento do Governo Temer e fez um caderno de oito páginas no jornal cantando o desempenho do governo. Um título citado: "Reformas encerram três anos de turbulência e recessão". 
E cita que o Caderno, entre os patrocinadores, tem inclusive o Banco do Brasil. Tudo isso na véspera dessa bomba da delação contra o Temer. Alguém viu isso nas Globo News da vida que fica dia e noite mostrando uma tubulação enferrujada e batendo na mesma tecla? Pois é. Temos que redobrar as atenções e buscar fontes alternativas. 
Orlando Lisboa Almeida

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

HOJE O PREGADOR ESTAVA ATACADO (12-02-17)

HOJE O PREGADOR ESTAVA ATACADO (12-02-17) 

(fiz o texto para o Facebook e por isso resolvi não colocar diretamente a denominação religiosa para tentar ser mais abrangente)
Falou um pouco de jurar ou não jurar. Diz que o que vem de cima é o seguinte: Nunca jurar. Basta que todo Sim seja Sim e que todo Não seja Não. Ponto final!
Sobre o do rebanho que se diz Não Praticante. Ele disse que participou de um conclave nacional onde havia outras denominações religiosas e um sheik estranhou essa do Não Praticante. Disse que isso não faz parte do Islamismo (e que os que matam em nome de Alá, não estão seguindo o que Alá determina). Ainda sobre o Não Praticante, o pregador fez um paralelo com o Honesto. Sou Honesto mas não Praticante.... não existe.
Pra completar. Leis e ritos, muitos não elevam a alma humana. Há que em essência seguir preceitos que tragam no bojo convivência fraterna e plena justiça. (Sou Engenheiro Agrônomo, 66 anos, aposentado e resido no Juvevê - sou dizimista no Cabral que é minha Paróquia mas gostamos de participar da missa das dez nos domingos na Santo Agostinho). Espero não ter melindrado ninguém com o texto que busca somar na fé e não dividir. A Paz do Cristo a todos. Orlando Lisboa Almeida

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

O CHAPÉU DO DÉCIO (CONTOS DO BB DE ONTEM)

 

                           “LEVANDO O CHAPÉU” 

     Autor:   Engenheiro Agrônomo Orlando Lisboa de Almeida


     Meu amigo Newton Silveira, paulista de Marília, fez carreira no BB Banco do Brasil concentrada no Paraná, indo de Auxiliar de Escrita a Gerente Geral.   Faz um punhadinho de anos que ele está aposentado, depois de uma vida dedicada ao Banco.
     É uma grande figura humana, tendo sido um funcionário dedicado, espirituoso e de um alto astral fora do normal, o que lhe proporcionava grandes amizades que o tempo conseguiu preservar, como é justo.     Era o Newton chegado a dar uns trotes nos amigos e colegas de trabalho.   Nisso era e é um mestre.
     Lá pela década de 60 (não vou falar que é no século passado porque é sacanagem!), na pacata cidade de Umuarama-PR, lá estava o jovem Newton morando em república e trabalhando duro no setor de crédito rural da agência local.   Naquele tempo o setor era o Setop – Setor de Operações Rurais.
     Elegeu como vítima do trote, certa vez, o amigo Décio Trute, português bonachão, gente finíssima, que era avaliador (“avaluador” como se dizia na zona rural) autônomo que prestava serviço ao BB.
     Naquele dia, o Setop estava lotado de agricultores fazendo proposta de financiamento.   Tinha até lista de espera, tanta era a demanda.    O Newton lá com sua Olivetti, datilografando a proposta do cliente que estava sentado em frente à sua mesa.    Serviço a mil por hora.    Eis que nesse clima, chega o Décio – o portuga – esbaforido de tanto andar no sol pelos sítios abrindo porteiras, comendo poeira e coisa e tal.    O Décio chega, tira o chapéu e entra na cantina para  tomar uma água fresquinha.
     O Newton, mesmo apurado no serviço, viu um chapéu no balcão lotado de gente, levantou da mesa, foi lá, pegou o chapéu, amassou, colocou no seu cesto de lixo, pisou em cima umas três vezes e depois bateu as mãos como quem liquida uma tarefa.   Tava feita a sacanagem.
     Nessa hora ele tinha perdido o Décio de vista no meio da clientela.
     Quando acaba de fazer a proposta e libera o cliente que atendeu, este pede licença ao “seo” Newton, pega o chapéu no lixo, pede desculpa por achar que não era permitido largar o seu chapéu no balcão.   Disse que não conhecia certas manhas da cidade, da vida urbana...   se desculpando.
     Como se diz no truco:   desta vez o passador de trote “desbocou o facão”, trucou em falso.    Ou ainda, como diz o piracicabano, “ mordeu  a chumbada”.
     Se o Newton pudesse, de tanta vergonha, faria como o Pluto do desenho animado, que enfiaria a cabeça por baixo das pernas e sairia pela porta dos fundos, rasteirinho, com o rabinho encolhido.     Ou virar uma avestruz para enfiar a cabeça no chão, sumir do mapa.
     O Décio ficou sabendo do engano do Newton e tirou uma casquinha ao menos daquela vez que, decididamente, foi o dia da caça.