Total de visualizações de página

Translate

Google+ Followers

quinta-feira, 22 de março de 2012

BRASILEIRO NA ALEMANHA - SE VIRA NOS TRINTA

     Dias atrás eu estava viajando de carro e ouvindo a "Rádio que toca Notícias - a CBN" e estava havendo um bate papo entre dois repórteres sobre uma proposta de moda do homem usar saia.   Era um repórter e uma repórter na prosa e cada um dava um pitaco no tema.    Até que um deles citou um caso que teria havido numa dessas mega feiras da indústria que teria acontecido na Alemanha, talvez em Hannover, onde um brasileiro estava trabalhando num stand da feira.     Fazia calor e ele resolveu trocar sua roupa mais sóbria por uma confortável bermuda.    Eis que por alguma razão ele precisa dar uma saida do recinto da feira e ao tentar voltar, foi barrado porque não poderia trabalhar com aquele tipo de traje que seria inadequado para o local e ocasião. Ele argumentou muito e lá não vale o jeitinho brasileiro.    Colocou as idéias para funcionar e se lembrou que a colega de trabalho no stand estava em serviço e pediu para chamá-la.    Foram a um local reservado e ele colocou a saia dela e ela saiu com a bermuda dele.    Ambos chegaram no guarda e este permitiu a passagem de ambos.    No regulamento não tinha nada que impedisse um homem de entrar no recinto de saia.     Coisa de brasileiro irreverente.
                                            orlando_lisboa@terra.com.br

quarta-feira, 14 de março de 2012

UM CURIOSO CASO DE AMOR NA ILHA DO VELHO CHICO

        

                          foto do site www.eujafui.com.br
                               
  Passeando por Maceió com direito a vários passeios, um deles para visitar a Foz do Rio São Francisco, onde este vira mar.    O local se chama Pontal do Peba.   Um lindo passeio de barco, a partir de Piaçabuçu, cidade que foi cenário de filme Deus é Brasileiro, com Antonio Fagundes.     Passeando de barco até a praia com dunas do Pontal, nosso guia local foi explicando alguns detalhes do lugar e contou um caso do passado, que teria ocorrido numa pequena ilha que fica a uns 4 km abaixo de Piaçabuçu rumo ao mar, este que fica a uns 9 km da cidade.    Pois conta o guia que na pequena ilha da qual se avista a cidade, morava uma só família de pescadores.    Eis que um dia uma filha do pescador, numa das visitas à cidade, ficou conhecendo um pescador e foi fisgada pelo mesmo, com a ajuda de Cupido.   Vai dai... que o pai dela ficou uma fera, ó xente!!!   Nada disso, não vai mais pra cidade.   Não arreda pé desta ilha e tá acabado.    Mas o amor é como poeira que entra até em vidro de relógio à prova d`água - essa fui buscar no baú do sotão do meu acervo! - e deu um jeitinho.   Um dia um recadinho através de alguém e tava armada a artimanha.     Quando o pai saia para pescar e ia demorar, ela - já combinada por recado - deixava amarrado num coqueiro à beira da água, uma fita vermelha.  Um laço de fita, que indicava que o sinal estava "verde".    A coisa foi assim rolando sem sobressaltos até o dia que os dois pombinhos resolveram voar e construir o próprio ninho, já que isso faz parte do cardápio.     
     Consta que o jovem casal, com uma sede de amor do tamanho do grande rio, do Velho Chico, teria vivido muito e tido vinte e sete filhos.    Haja partos!       Pois passada essa façanha, consta que a ilha ficou com fama de afrodisíaca e o guia faz uma graça:    Aqui no barco temos sempre uns casaizinhos em lua de mel e recomendamos a ilha ali.    O povo daqui garante que eles não irão pregar os olhos a noite toda... de tanto pernilongo e borrachudo.
     O nordestino tem um bom senso de humor, pois não!!!
     Se eu me lembrasse o nome do guia, iria passar o crédito a ele, que mora em Piaçabuçu.  

                             orlando_lisboa@terra.com.br
                             

segunda-feira, 12 de março de 2012

PROGRAMAÇÃO CULTURAL - SAMBA DO BOM

     Nos dias 17 e 18 de março haverá o show Viva Elis no Teatro Oficina da UEM.    O espetáculo fica por conta do grupo Samba Sim e os ingressos podem ser adquiridos (conforme consta em O Diário) no ponto de venda - Genko Mix (Maringá Park)    15,00 por pessoa.    O espaço lá no teatro é pequeno e quem gosta do gênero, é bom correr e garantir o ingresso.
    Dia 17 o início do show está marcado para 21 horas
    Dia 18 - para 20 horas.
    Uma vez já vi uma apresentação do grupo e vou repetir a dose com certeza!  
   
    orlando_lisboa@terra.com.br
   

sexta-feira, 9 de março de 2012

UMA BREVE HISTÓRIA DA QUENGA - DIRETO DE MACEIÓ




             
                                foto de    hotfrog.com.br para ilustrar o texto 
     Um passeio para ter menor risco de imprevistos, sempre é bom ter por trás, uma boa empresa de turismo com gente capacitada e um roteiro bem planejado.   Ora pois!    Guia de turismo tem a obrigação de estudar os aspectos históricos do lugar visitado e muito mais.    Enquanto passeia com os turistas, o guia vai explicando aspectos pitorescos do lugar.   Nesse contexto, veja a explicação que ele deu para o termo Quenga na forma que nos chegou pela TV em rede nacional.    Quenga ficou sendo sinônimo de prostituta.  
     Ele disse que as casas primitivas do interior de Alagoas em particular e de vasto território do Brasil eram feitas de taipa, onde se usa madeira nas paredes e barro.    Pois bem.   O barro era amassado com os pés e muito comumente em mutirão.   Para dar ritmo ao trabalho e torná-lo mais agradável, o pessoal passou a usar a cuia do coco cortada ao meio para bater uma parte contra a outra, fazendo aquele barulhinho no ritmo.   Essa cuia se chama quenga no Nordeste.  
    Acrescentou o guia que as escolas colocaram no currículo o estudo do folclore regional e em certo tempo os alunos levavam duas quengas para dançar o coco nas aulas de folclore.     Como já diz a letra do Rei do Baião:    "Toda menina quando enjoa da boneca é sinal que o amor..."     Pois de vez em quando, alguma menina zarpava da aula e saia pelas ruas atrás dos seus namoricos mais ou menos apimentados.   Vai daí que a vizinhança botava reparo e dizia:    Lá vai a outra com suas quengas ladeira abaixo.   Assim as quengas (cuias) do coco emprestaram o nome às que gostavam de gazetar aulas e dar seus pulinhos por ai.      


                                  orlando_lisboa@terra.com.br

terça-feira, 6 de março de 2012

MACEIÓ TEM ESTÁTUA DA LIBERDADE TAL QUAL NY, OXENTE!!

                        a foto é do site   www.eujafui.com.br


          Pois é.   Fazendo um city tour em Maceió, capital de Alagoas, eis que deparo com uma estátua que é uma réplica em tamanho menor, da estátua da Liberdade, daquela que tem em NY.    Pois segundo consta, esta de Maceió, que fica na Praça Dois Leões, em frente ao Porto de Maceió e tendo ao fundo o MIS Museu da Imagem e do Som da cidade, foi feita na mesma fundição e também é do mesmo autor da estátua de NY.  O criador da estátua seria Frédéric Auguste Bartholdi.      
     Esta de Maceió, segundo a literatura, tem mais de cem anos e está lá fazendo parte do patrimônio arquitetônico da cidade que tem inclusive obra do nosso Oscar Niemeyer na avenida da orla marítima, na praia de Pajuçaras, região central da capital alagoana.    Esta obra é o Mausoléu do ilustre político Teotônio Vilela, que foi um lutador, ao seu modo, pela democracia neste chão.   É isso aí!

orlando_lisboa@terra.com.br