Total de visualizações de página

Translate

Google+ Followers

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

FORTALEZA - PRAIA DE CANOA QUEBRADA (VI)


                     crédito da foto:   site baixaki

     A praia de Canoa Quebrada fica distante ao redor de 170 km de Fortaleza e o acesso é por asfalto, no sentido sul da costa.  Fica no município de Aracati-CE.   Para ir lá passamos inclusive pelo município de Cascavel-CE.   Pouco mais de duas horas de ônibus fretado, com conforto e a eficiência do Guia Ávila, que conhece tudo do ramo e da região.
     No local onde fica a praia de Canoa Quebrada tem um povoado cujo centro tem a Avenida Broadway e isto é uma curiosidade local.  Fotos mil do lugar e da placa que fica num pedestal alto e bem visível.
     A Praia de Canoa Quebrada tem as chamadas falésias, que são aqueles barrancos típicos, com um tipo de solo arenito agregado formando paredões naturais com cores variando do marron escuro ao cinza, passando para tons de amarelo e chegando ao branco.    Muito interessante.    Por lá o pessoal faz aqueles artesanatos colocando areia colorida em vidros com paisagens formadas pelos diferentes tons da areia.  
     Próximo à praia são vistos moinhos de vento (usinas eólicas) modernos, cujas pás que rodam tem o comprimento de 35 metros de raio, formando um diâmetro total de 70 metros.    Pás que giram sobre uma estrutura de 100 metros de altura, segundo consta.
    São poucas barracas na praia, mas são suficientes para atender o público que por lá aparece para curtir o ambiente lindo por natureza.    As barracas (restaurantes) servem pratos variados, sendo que os peixes e lagostas são parte integrante do cardápio, sempre produtos frescos pescados na região.
     Há opção de passeio de jangada, além dos tradicionais banhos de mar na praia que é muito limpa e tem a areia de cor amarela.
     Num paredão da falésia perto da barraca, um conjunto de símbolos esculpidos na rocha arenosa, sol e lua, que segundo consta estão ligados à cultura árabe e a crença em Maomé e a respectiva religião.   Tem uma colônia árabe na região de Fortaleza, sólida e influente no mundo dos negócios.    Os Jereissati, segundo o guia, são descendentes de árabes, por exemplo.
     O lugar é pequeno e tem uma colônia de pesadores que atuam na região.    Vimos um pescador e sua família limpando duas arraias de uns 6 kg de peso e uns 40 cm de diâmetro, sendo limpas para serem preparadas para as refeições dos turistas.     Por sinal, havia turistas do Brasil e do exterior por lá.
     Gostamos muito da praia de Canoa Quebrada e achamos que valeu a pena pular meio cedo da cama no hotel, tomar um café da manhã reforçado e em seguida pegar na frente do hotel o ônibus fretado rumo à praia.   

                   orlando_lisboa@terra.com.br     




quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

TURISMO EM FORTALEZA - PRAIA DO MUNDAU (V)



     Sob a batuta do guia Heraldo, fizemos a viagem em ônibus fretado com destino ao município de Trairi-CE, distante ao redor de 150 km de Fortaleza.    Valeu a viagem até lá, pois a praia que recebe o nome do Rio Mundaú que no local desagua no mar, é muito linda.    Linda e tranquila por ficar um tanto mais retirada da capital e assim menos acessível ao turista um pouco mais comodista.   Valeu até levantar meio cedo no hotel, tomar o café reforçado e esperar o ônibus de turismo nos pegar no hotel com destino a Mundaú.
     Tem um belo Resort beira mar e os turistas, dependendo do pacote adquirido, podem ter acesso a alguns itens do Resort, inclusive para tomar refeições e o serviço de bar, etc.
     Um dos itens indispensáveis no passeio a Mundaú é o passeio no catamarã, que é um tipo de barco de piso reto, laterais baixas, relativamente largo e amplo, que comporta uns 50 turistas por vez.    Embarcação para águas mansas como as do Rio Mundaú que desce suave até o mar, passando por manguezais onde avistamos de muito perto muitos caranguejos no mangue à beira do rio.
     Para ir até o local onde embarcamos no catamarã, os turistas embarcam num caminhão com bancos na carroceria de madeira, imitando os famosos paus-de-arara do passado, que transportavam os nordestinos em enormes viagens fugindo da seca ou migrando para o sul.    O trajeto no pau-de-arara é de alguns minutos, mais para sentir o exotismo do tipo de transporte.   Muito legal.    E tem o contato interessante com os povos nativos do lugar que muito bem recebem os turistas.
     O lugar sendo também uma colônia de pescadores, tem muitas jangadas com as quais os pescadores saem para pescar e mais recentemente, alguns fazem uns extras levando turistas para um passeio de jangada que é sempre muito interessante.   É botar colete salva-vidas, roupa de banho (que espirra água das ondas de vez em quando), filtro solar sempre e tudo muito seguro.  Belas fotos, principalmente tiradas por quem fica em terra.   Tendo cuidado com a câmera e esta não sendo muito sofisticada, pode ser que dê para arriscar levar à bordo.   No meu caso, optei pela foto feita pela torcida que ficou em terra.
     Dunas lindas, apesar de não muito altas, com coqueiros nas mesmas e na região.    Pés de coco, de manga, de caju, este bastante típico da região.
     Na volta à capital, um show na Lupus Bier, uma casa de shows muito ampla e moderna, onde jantamos assistindo um show com os stand up Adamastor Pitaco e Rosicléa.    Os nordestinos são ótimos para receber turistas e craques como ninguém no humor.     E como costumo dizer:  A vida sem humor perde muito do valor.          Recomendo.

                 orlando_lisboa@terra.com.br

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

TURISMO EM FORTALEZA (IV) - MORRO BRANCO



  Photo by:  http://guiadolitoral.uol.com.br/fotosdepraia-beberibemorrobranco-ce-1294.html

  Na noite anterior ao passeio até Morro Branco, visitamos um prédio muito antigo e muito bem conservado que outrora foi uma prisão e agora funciona como um mercado de artesanato.  As paredes do prédio devem ter mais de meio metro de largura.  Lindo o prédio e lindos os artesanatos locais.   Compramos inclusive umas camisetas com desenhos feitos com a arte da xilogravura, tipo que se usava para ilustrar os livrinhos de cordel.   Entalha-se na madeira em relevo o que se quer do desenho e depois passa tinta nessa tabuinha esculpida e ao colocar a mesma como se fosse carimbar a camiseta, sai o desenho feito pela tinta e os relevos.   Muito interessante.   Vejam um exemplar abaixo.

  Gravura de: http://blog.teatrodope.com.br/2007/05/09/literatura-de-cordel-xilogravura-temas-e-ensino/

     A praia de Morro Branco tem falésias, que são paredões de um tipo de rocha arenosa colorida, com vários tons de cores, do branco, para o cinza, para o amarelo, vermelho, marron.     
     A praia, como as demais é muito linda.    Alugamos um bugue e demos voltas pelas dunas e fomos até uma lagoa de água doce.   Um passeio muito agradável, com paisagens especiais.   Sol sim, mas sempre um ventinho leve, refrescando o ambiente.
     No almoço optamos por um peixe chamado pargo assado, que estava do nosso gosto.   Muito bom!   Muitos estrangeiros por lá na ocasião, tanto que numa mesa com bastante gente do nosso lado, uma turma de franceses, em outra, uma turma de coreanos.    Muita gente do próprio nordeste passeando e também do sudeste e sul.   O Brasil passa por lá, já que sol e mar são garantidos de segunda a segunda, quase sempre.
     Consta (diz a guia) que por lá gravaram episódios de No Limite, aquele que foi ganho por uma cabeleireira, há tempos.   Foi cenário de um dos filmes do Renato Aragão e alguns outros programas de TV.
     Morro Branco porque os pescadores se afastavam bastante da costa, em alto mar para a pesca e de longe só viam as pontas das dunas, bem branquinhas e então ficou Morro Branco.    Lá tem um dos raros Faróis de orientação náutica feito com a torre quadrangular e não circular como as usuais.  (Guia Regina Lima).
     No trajeto de ônibus de Fortaleza a Morro Branco, ainda na capital, passamos pela casa onde nasceu José de Alencar, que era filho de um religioso.      O passeio sempre tem o lado de descanso, praia com sol e mar e também dá para dar uns pitacos para conhecer um pouco mais da cultura local.    E o Nordeste é muito rico em Natureza e Cultura.


domingo, 9 de dezembro de 2012

TURISMO EM FORTALEZA - PRAIA DO CUMBUCO (III)


   
     crédito da foto:    http://www.meuceara.com.br/praia-de-cumbuco-caucaia-ce/

     Fiz um texto sobre a visita a esta praia na matéria logo abaixo.    Abraço a todos e haverá ainda matéria sobre as praias de Morro Branco, Mundaú, Canoa Quebrada, Lagoinha.

                orlando_lisboa@terra.com.br

       

TURISMO EM FORTALEZA (III) E CUMBUCO

     Tivemos a sorte de contar com guias de turismo de alto gabarito em Fortaleza e um deles foi o Ávila, que deu uma boa panorâmica da vida da cidade e da região.
     No Centro de Fortaleza tem o Palácio da Abolição, que é a sede administrativa do governo do estado.  Ao lado do palácio tem uma obra de arte da arquitetura que é o Mausoleu a Castello Brannco, marechal que foi presidente do Brasil no tempo do governo militar.     Eu até já fiz um comentário no blog, específico sobre esse mausoleu porque tem um estilo sui generis:    o prédio é todo apoiado em um só lado e se expande "no ar" a meia altura do solo e conta com um espelho d´água em baixo e dormentes assentados em volta com um rejuntado de pedras, para simbolizar a caatinga na seca.    Depois tem um gramado verde que representa o agreste mais úmido e cheio de vegetais.    O arquiteto que bolou a obra é do Rio de Janeiro, com passagem pela Itália e premiado no ramo.   Vale fazer ao menos uma busca pelo Google em nome do Mausoleu a Castello Branco e conferir as fotos.  (seriam 36 metros de obra suspensas por um só lado)
     Consta que no sertão cearense há muitos minerais raros, sendo que a região é muito antiga geologicamente e há muitos lugares cuja altitude é abaixo do nível do mar.    Consta que há pequenos terremotos frequentes nessa região.
     No calçadão da praia de Iracema, um monumento inusitado em forma de um tique com caneta ao conferir algo num texto.   A parte menor do tique de tubo-monumento é preta e a maior, branca e simbolizaria o tratamento do esgoto da cidade.   Preto para a fase antes do tratamento e o branco para o esgoto já tratado.   Mas o guia diz que as más linguas chamam o monumento de chifrão.   

http://nikipiadia.blogspot.com.br/2012/02/monumentos-e-esculturas-beira-mar.html  (crédito das fotos)


          Uma curiosidade que notei por lá na capital (Fortaleza) e mesmo nas pequenas cidades vizinhas:  As casas, por mais simples que sejam, em geral tem as telhas de barro, ou telhas cerâmicas.  Estas são duráveis, tem um ótimo nível de isolante térmico contra o calor e não são espalhadas por vento como ocorre em telhas de cimento amianto, esta última que também não resiste a uma chuva de granizo.    

     CUMBUCO

     Fomos de ônibus fretado a Caucaia-CE (Serra do Araripe) e visitamos a Praia do Cumbuco que é muito bonita.     Lá passeamos de jangada, andamos de bugue nas dunas e visitamos uma bela lagoa de água doce, além de curtir a praia e seus arrecifes.         
     Lá nas dunas tem um lugar onde a pessoa pode descer de "esquibunda" duna abaixo, terminando a descida numa linda lagoa.   Mesmo quem não sabe nadar, dá para controlar e ficar sem o banho de lagoa, como no meu caso.     Descer é uma beleza e subir, tem como se apoiar num corrimão de corda que serve de apoio na subida.   Muito legal.  Algo diferente.

      Voltando a Fortaleza no começo da noite, fomos visitar o Centro Cultural O Dragão do Mar.    O nome 
é uma homenagem a um heroi popular local que lutou contra a escravidão.   Vale a pena visitar o Dragão do Mar.  Costuma haver várias exposições por lá.









   



sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

FORTALEZA -CE - TURISMO NO BEACH PARK


              credito da foto:  site abaixo     (Tobogã "Insano")
http://www.beachpark.com.br/site/pt/imagens_/beach-park-atracoes/beachpark-atracoes-insano01.jpg



     Este é o segundo artigo sobre nossa visita a Fortaleza e região.   Fomos através de uma agência de turismo e lá resolvemos fechar um pacote completo com uns cinco passeios por diferentes praias ao norte e ao sul da costa cearense.   
    Em tempo, duas curiosidades pela cidade e região:   No calçadão da Praia de Iracema, no centro de Fortaleza, guardas urbanos andando sobre a "coisa", aqueles tipo patinetes motorizados.  Bem modernos.   A outra foi por conta dos postos da Polícia Rodoviária Estadual.    Postos em prédios super modernos, com revestimentos que parecem ser de pedra, com vidros blindex fumê, muito chiques.     E as viaturas que vimos foram caminhonetes Hilux com tração nas quatro rodas.   Razoável!    
     No caminho, perto do Beach Park, há uma série de Geradores de energia eólica com seus enormes cataventos girando e aproveitando o vento constante.   
     
     Primeiro passeio fora de Fortaleza:    BEACH PARK. 

    O Beach Park fica no local chamado Porto das Dunas, município de Aquiraz-CE distante menos de 20 km de Fortaleza.     
     Fomos em ônibus fretado até o Beach Park que é um belo parque aquático ao lado de uma praia.   Lá tem as piscinas de água doce e o ponto alto (põe alto nisso!) é o tobogã chamado de Insano, com seus 40 metros de altura ou mais.   Esse eu não encarei, pois acho que é para os mais jovens.    O "passaporte" para um dia no Parque eu achei meio salgado, a R$.130,00 por pessoa.    Pode ser um custo/benefício aceitável para quem está em forma ao ponto de poder brincar nos brinquedos radicais como o Insano e coisa e tal.    
    Da nossa parte, tivemos direito, por estar em pacote turístico, de ter acesso a várias benfeitorias do Parque, como quiosques para alimentação e bebidas, sombra e água fresca, banheiros e lojinhas de artesanatos e demais lembrancinhas.     Almoçamos por lá  em banquinhos bem confortáveis debaixo de um coqueiral plantado na praia, ao lado da lanchonete, vendo o mar e as ondas, tomando a brisa que vem com o vento.   Tudo de bom!
     Se minha memória não falha, perto do Beach Park há falésias, que são rochas de perfil quase vertical com uma formação de solo colorido com várias cores do branco ao rosado, alaranjado e indo até o marron.  Muito interessante.     O pessoal tirava areia colorida das rochas para fazer artesanato, mas consta que atualmente os artesãos estariam colorindo a areia da praia para usar nos artesanatos visando preservar as falésias que são parte da Natureza.    Um bom argumento. 
     Gostamos muito do passeio em si e da comida servida no local, além da excelente infra estrutura, mesmo para quem não comprou o passaporte para o Parque, mas que estava em pacote de companhia de turismo que tem convênio com o local.

sábado, 1 de dezembro de 2012

O EXERCÍCIO DA CIDADANIA, O BÊBADO E O POSTE


O EXERCÍCIO DA CIDADANIA, O BÊBADO E O POSTE. Primeiro vamos à piadinha do bebado e o poste. Consta que o bêbado estava tão mal que se abraçou num poste para não cair. Estava lá com o mundo rodando na cabeça e já não aguentava mais. Ouviu prosa de um grupo de pessoas que passava na rua e tascou: - Sai de perto que eu vou largar essa merda aqui... Como se o poste fosse cair e não o bêbado.
Pois bem. Ontem tinha aqui na cidade um bom espetáculo de fim de ano de uma renomada Academia de Dança (Daisa Poltronieri) e eu até pensava em ir lá prestigiar o evento, inclusive pelo fato de que estava sendo usado no cenário o mote do livro Terra Crua, de um autor local, falando da Maringá dos anos 50. Mas no mesmo horário tinha a reunião do condomínio do meu prédio e o assunto era a exposição do trabalho de dois engenheiros sobre manutenção Civil e Elétrica do prédio. Optei por cuidar do nosso prédio. Após o trabalho, aula de in
glês já em seguida e depois, sem janta, direto da aula de inglês para a dita cuja reunião. Para discutir e decidir tudo fomos das 20 até perto das 23 h. Hoje cedo estou descendo o elevador e um jovem casal vizinho perguntou para uma amiga minha que também mora no prédio, sobre como foi a reunião. Antes dela responder, ele disse: Como sempre o pessoal não decide nada, não resolve nada. Eu argumentei que a reunião houve e foi bastante produtiva. Decidimos as obras a fazer, os custos a arcar, a ordem das obras, as pessoas que acompanharão as mesmas e a chamada de capital. Então é assim: a gente sua a camisa para que as coisas sejam feitas com capricho e alguém que não tem noção do trabalho que deu e dá e vem criticar como no caso do livro que a pessoa não leu e não gostou. Um cara desses tem que ir plantar batatas, para não ser mais deselegante! E olha que está cheio de gente que só critica e nada faz. Inclusive no Facebook!!!!