Total de visualizações de página

Translate

Google+ Followers

sábado, 23 de abril de 2011

A CIDADE TURÍSTICA DE TREZE TÍLIAS - SC (ORIGEM TIROLEZA)


     Estivemos pela segunda vez visitando a simpática cidade turística de Treze Tilias-SC que fica no vale do Rio do Peixe, perto de Joaçaba-SC.    A cidade foi colonizada por povo originário da Áustria, mais precisamente da região do Tirol.    A cidade tem dentre suas atividades  o turismo e a infra estrutura local é bem adequada pelo porte da cidade, com belos hoteis, restaurantes e até umas choperias que vendem o chopp artesanal de fabricação local.    Muitos prédios públicos, comerciais e residenciais com o estilo da Áustria para preservar a cultura do povo.   
    A prefeitura local dá isenção de imposto para pessoas que constroem suas casas dentro do padrão da cultura austríaca.  
    Muitos jovens da cidade vão passar uma temporada na Áustria , estudam e trabalham por lá por uns tempos e depois voltam para a cidade para se estabelecer em alguma atividade local, às vezes em empreendimentos por conta própria com as economias reforçadas pela temporada de trabalho no exterior. 
     Na vez anterior que estivemos em Treze Tílias, além do café colonial, assistimos a uma apresentação de dança típica do Tirol, feita pelo povo local em trajes típicos.
     Quanto ao nome da cidade, vem de uma planta que segundo consta é muito comum na Europa e que deu nome à cidade.   Há exemplares da planta na cidade e algumas delas com plaquinhas indicando que aquelas plantas são as que inspiraram o nome do local.
     Visitar Treze Tílias é um prazer e uma aula de cultura.   Tudo isso cercado de muito verde pois a região é montanhosa e tem muita floresta preservada.  Vale a pena!
    

domingo, 17 de abril de 2011

TOUR RELÂMPAGO EM CURITIBA

           Foto do site  arqtodesca.blogspot.com

    Fui a Curitiba na sexta para uma reunião no sábado.   Como cheguei na cidade não muito depois do almoço, aproveitei a tarde para dar uma caminhada a pé ali pela região do hotel, que fica atrás do teatro Guaira.    Logo por perto, descobri a Capela Santa Maria, que fica quase na esquina com a Praça Santos Andrade.     Era um colégio enorme ali e no complexo do colégio havia uma Capela.   Atualmente o Colégio funciona em outro local e o prédio foi restaurado, incluindo a Capela, que agora é um auditório adaptado para apresentações.   Ao que consta, a Camerata de Curitiba faz seus ensaios por lá.    O espaço cultural local tem portaria com vigilância e tudo está bem cuidado.       No pátio interno, algo como uma pracinha, com floreiras muito bem cuidadas.   
     Logo na frente da Capela, o Espaço Cultural da Caixa.    Fui lá e estava exposta uma coleção de trabalhos do artista francês  Zaven Paré.  O nome da mostra é Cyber Arte.      Vi a exposição que no mínimo é inusitada.  Gostei.    O bom é ir lá e conferir, mas se a pessoa quiser mais detalhe, dá para ter um "tira gosto" pelo site    www.caixacultural.com.br   e procurar pelo PR.
     Em seguida, uma passadinha pelo velho predião da Federal, imponente como sempre, com a moçada sentada nos degraus da escadaria.    Entrei lá, dei uma volta pelo térreo e achei até uma cantina que vendia vários tipos de café.   Tomei um e depois continuei meu tour.
    Com uma dica da  curadora da exposição do Espaço Cultural da Caixa, fui ver o Paço da Liberdade, o prédio que já foi sede da prefeitura de Curitiba no passado e também já foi museu até pouco tempo atrás. O  prédio é do início do século passado e é muito lindo, principalmente agora que foi restaurado com apoio total do Sesc Paraná.   É o próprio SESC PR que está cuidando do prédio e das suas atividades culturais.    Lá tem lanchonete com piano, café, biblioteca, internet, mas o principal para mim foi a magestade do prédio com suas janelas e sacadas, assoalho de madeira, escadaria de madeira com colunas entalhadas.   Nota dez  para o SESC.   Alguém tinha que cuidar daquele espaço!
     O prédio fica perto da Praça Tiradentes e bem perto da Catedral de Curitiba.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

VISITA A B. AIRES (II) ESTÁDIO LA BOMBONERA

                                      Foto de Poliana Lisboa


     Dentro da nossa programação em Buenos Aires, não queríamos deixar de conhecer o famoso estádio La Bombonera, o estádio do Boca Juniors.      No caminho para Puerto Madero, chegamos ao estádio que tem uma calçada bem estreita e o estádio se ergue como um edifício para aproveitar bem o terreno que não deve ser muito espaçoso.   Como havia pouco espaço na horizontal, tiveram que erguer muito as arquibancadas e ficou como uma caixa, o que suponho ter dado o apelido ao estádio.   É apenas uma suposição pois os detalhes estão lá na Wikipéia que eu nem fui ver desta vez.
     Do lado de fora, todo pintado com as cores amarela e azul, que são as cores do clube.   E no saguão de entrada, uma estátua de bronze em tamanho natural, do Diego Maradona, vestido com traje de futebol.   Tiramos até uma foto ao lado do maior craque da Argentina para guardar de lembrança. 
     Na calçada em frente à entrada da sala de troféus onde tem a estátua do Maradona, tem a “calçada da fama” com círculos com o nome e a marca do pé dos craques de maior destaque por lá através dos tempos.   Riquelme, Tevez e alguns mais.   O curioso é que tinha o círculo com o nome do Maradona e o ano de 2005, mas nada da marca do pé dele.   Fiquei sem saber o por quê dele não ter deixado sua marca na calçada da fama, ao menos, ainda!
     No estádio tem um museu do clube, com audiovisual e muito mais, porém optamos por deixar esta parte do programa de fora para ir visitar Puerto Madero e o também famoso El Caminito, que é um recanto de arte, turismo e lugar para se sentar no meio da rua de lazer, debaixo de toldos para curtir espetáculos de tango e muito mais.   Votaremos ao assunto da viagem em breve.

sábado, 2 de abril de 2011

VIAGEM A BUENOS AIRES E UM TOUR PELA CAPITAL

                                            Foto de Poliana Lisboa  


      Dias atrás, tiramos uma mini férias de cinco dias, de quinta a segunda, e fomos dar um giro a passeio por Buenos Aires.   Antes de viajar, compramos um folheto com o roteiro da cidade e ao chegar, fomos visitando os lugares programados.    Levamos um notebook para ir de vez em quando conectando na internet para conseguir mais detalhes dos lugares a visitar, o que foi muito útil, por sinal.    Buenos Aires é uma cidade enorme, antiga, bonita, bem cuidada, com metrô há mais tempo que o Brasil eu acho.      
     Quando a gente fala de uma viagem de cinco dias, bom destacar que efetivamente sobraram mesmo três dias para passeio e os dois outros foram o dia da ida e da volta, que envolvem a gente na viagem ao aeroporto, ida a São Paulo, mudar de aeroporto, voar até B.Aires e descer no aeroporto internacional Ezeiza que fica distante uns 45 km da cidade e enfrentar o trânsito para chegar ao centro e dar entrada no hotel.   Mas nos três dias de passeio, bem programados deu para visitar teatro com tango da melhor qualidade  (Teatro Astor Piazolla), monumentos como o Obelisco na Avenida Nove de Julho, uma das mais amplas avenidas da América Latina, o Museu  Malba que é dono do quadro Abaporu, da brasileira Tarcila do Amaral, a Casa Rosada (palácio do governo), a Calle Florida, o estádio La Bombonera (do Boca Juniors), o Puerto Madero, El Camiñito, o lindo parque chamado Roseal (com lindas roseiras, gramados, lagos artificiais, tudo muito bem cuidado.
     No estádio do Boca, que é num lugar meio apertado e por isso o estádio é bem alto, tem na sua calçada a chamada calçada da fama, com as marcas dos pés de jogadores que foram destaque no país, como Teves, Riquelme, Palermo, Maradona.     O curioso que havia um círculo para a marca do pé do Maradona, mas ainda sem a marca.    Ele por alguma razão ainda não inaugurou sua pegada no pedaço, apesar de ter na entrada do estádio até uma estátua de bronze, tamanho natural, dele em uniforme de futebol.    
    Voltaremos a mais detalhes da viagem em outro capítulo.