Total de visualizações de página

Translate

Google+ Followers

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

ÁRVORE DE NATAL IMPROVISADA - MENSAGEM DE NATAL


Então fica assim. Mudança prevista para as vésperas do Natal e a esposa resolveu que iria montar a árvore já no apê novo, nosso. Eis que São Pedro, com dó e pena da Cantareira e outras beiras, resolve que a mudança pode esperar um pouco mais. Então vou aqui, manobrando as catracas da memória, montando no ar a minha árvore bem improvisada e vamos ver o que sai no estilo "batata quente". Vou pegar como mesinha, a cidade que me acolhe com a família. Como árvore, quem sabe uma pequena e significativa pirâmide humana bacana com gente da família e alguns amigos de coração. Uns floquinhos brancos à guisa de neve (lá onde mora Papai Noel dizem que tem neve em dezembro) podem ser da minha vasta cabeleira branca mesmo para simplificar as coisas e ficar tudo no "mercado interno". As bolinhas coloridas, as crianças que passam por nós, nos encantam com a pureza e a graça que tem tudo a ver com a Benção do Criador. As luzinhas, muitas, piscando - a esperança e a crença de quem tem fé e bota fé em si, no próximo e acredita que tem um Pai. E que Pai! E na pontinha da árvore uma estrela indicando que alguém nasceu, viveu e passou pelo suplício por nós. Amor maior não há. FELIZ NATAL, AMIZADES!!!! Orlando Lisboa de Almeida - Natal 2014

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

O CAUS0 DOS DOADORES DE MILHÕES DE DOLARES PELA INTERNET

CRÔNICA -   Dias atrás um amigo meu fez uma referência a essas cartinhas manjadas, escritas em inglês, dizendo que se trata de uma senhora idosa da África, que doaria parte de Milhões de dolares que tem a receber, se a pessoa contatada fizer isso ou aquilo......

O CAUS0 DOS DOADORES DE MILHÕES DE DOLARES PELA INTERNET me fizeram lembrar:
Não existe golpe velho e a prova é que ainda tem gente que cai até no conto do bilhete, meu! Essa dos dolares me fez lembrar de um desenho dos Flinstones que eu assisti junto com as sobrinhas quando elas eram crianças, lá pelos anos 70. O Fred tinha um colega de trabalho que economizou N meses e comprou um super power anel para presentear a esposa. Por segurança, deixou o anel com o Fred (amigão dele) até o dia da festa e da surpresa para a esposa. O Fred guardou super bem guardado o anel em casa... mas a esposa dele achou e começou a tratá-lo no bico, achando que o anel seria um presente para ela, a ser entregue oportunamente. O Fred não resistiu e disse que o anel era pra sua esposa mesmo e ela ficou mega feliz. E o anel custava a bagatela de 10.000 lascas. Em apuros, Fred corre pedir ajuda ao amigo Barney sobre como levantar uma fortuna dessas. Um cartaz: Lutador Quebra Ossos desafia... prêmio 10.000 lascas. Taí! Solução à vista, sugere Barney. E vamos treinar, treinar, treinar. No dia, deu o inesperado: Fred bota o adversário na lona e leva as 10.000 lascas. Ao receber, percebe que as lascas não são do seu país. Eram lascas do Rabugistão e fazendo o câmbio dava 10 Lascas. kkkkkkkkkkk Mas a esposa do Fred ficou sabendo de toda a verdade e viu tanto que o marido fez pelo amor, que devolveu o anel à de direito e o final foi feliz para todos. (No caso dos dolares, além do golpe, poderiam ser dolares do Babaquistão)

terça-feira, 16 de setembro de 2014

TURISMO EM RECIFE - INSTITUTO RICARDO BRENNAND (MUSEU)



  Fotos de Sonia Forsetto    (minha irmã)

   Nas matérias anteriores neste blog retratei pela ordem de "chegada" os seguintes passeios:   Porto de Galinhas, Praia dos Carneiros, Olinda, Recife Centro Histórico, Oficina Brennand (Francisco Brennand) e agora, para encerrar o roteiro, a visita ao Instituto Ricardo Brennand.
     Os passeios anteriores foram de no mínimo um dia todo e a Oficina Brennand e o Instituto Francisco Brennand, fizemos ambas as visitas num dia só.   Foi um dia "lotado", pois tem um bocado de coisa linda para se ver por lá.    A Oficina abre inclusive de manhã e então fomos para lá na parte da manhã, até o almoço.   Almoçamos nas dependências da Oficina e depois tomamos um taxi até o Instituto Ricardo Brennad, cuja coleção de objetos de maior destaque são espadas, punhais, adagas, armaduras medievais e muito mais.   Tem inclusive peças de marfim do Oriente.
     O Instituto Brennand é um conjunto que forma um Museu em três prédios distribuidos em uma área verde super bem cuidada e que tem obras de arte (esculturas) inclusive nos jardins.
     Uma das seções que me chamou mais atenção foi a sala onde ficam relíquias dos anos do "Pernambuco Holandês" (ano 1630-1654 aproximadamente).    Tempos de Maurício de Nassau e seu governo por lá.     A economia da região era voltada à cana-de-açucar e à produção de açucar para exportação, sendo que a Holanda era um importante agente de importação de produtos para depois exportar para outros países.
     Há no setor da colonização holandesa peças, mapas, livros impressos na Holanda documentando o período, roupas típicas da época.
     Nassau trouxe para a região cientistas de várias áreas para catalogar e explorar os itens da flora, fauna e mineralogia da região, inclusive para delimitar o interesse econômico pela riqueza local.   
     Num dos prédios do Museu fica concentrada a parte das espadas, armaduras medievais, relógios antigos, etc.   No outro prédio, mobiliário antigo, arte sacra, peças e livros da colonização holandesa e uma rara estátua em tamanho natural de um senador romano do século II d.C.   
     No prédio terceiro por assim dizer, ainda há um espaço amplo que ao que consta recebe exposições de artes plásticas de forma temporária.   Tem inclusive um acervo permanente de obras de arte.    
     Uma visita que vale a pena e é um mergulho na história do Brasil.  

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

NA OFICINA BRENNAND EM RECIFE COM O ARTESÃO BRENNAND

     Na matéria do artigo seguinte, tratei da visita à Oficina Brennand.   Desta vez, abro espaço para destacar esta rara foto que o artista em Cerâmica e Artes Plásticas Francisco Brennand nos proporcionou.   Uma simpatia sem par, o Sr.Brennand

              Foto by   Sonia Forsetto    (minha irmã caçula)
                            Na foto eu, o Brennand e minha esposa

TURISMO EM RECIFE - OFICINA/GALERIA (CERÂMICA) BRENNAND

   


   Fotos de Sonia Forsetto

  Antes de irmos a Recife a passeio, já tinhamos a dica de pessoas da família que recomendaram expressamente para visitarmos por lá dois lugares onde a cultura é marcante.    Uma delas é a chamada Oficina Brennand, que será objeto deste capítulo da viagem e na sequência, encerrando a viagem, a visita ao Museu do Instituto Ricardo Brennand   (primo do Francisco Brennand da Oficina de arte cerâmica).     Em capítulos anteriores, já abordamos neste blog outras quatro partes do passeio, pela ordem:  Porto de Galinhas, Praia dos Carneiros, Olinda Histórica e Recife Histórica.
    Voltando ao tema deste artigo:  Oficina Brennand.     É uma imensa galeria de arte cerâmica no local onde era uma fazenda com engenho de açucar no passado.   Fica dentro da cidade de Recife, mas é um lugar com muita mata nativa preservada e 3 km de estradinhas para se chegar à sede da Oficina, que foi uma cerâmica industrial no passado (telhas) e depois passou a ser o Atelier do escultor/ceramista e artista plástico Francisco Brennand.    Por sinal, tivemos a honra de conhecer o artista durante a visita ao atelier/exposição. 
     Para quem conhece em Curitiba o Museu Oscar Niemeyer, há do lado de fora do prédio em si, no pátio do lado de baixo do museu, uma obra marcante do Brennand, que se parece com uma grande cobra marron de uns cinco metros de altura.
     As dependências da chamada Oficina conta com uns cinco galpões enormes onde são elaborados os objetos em cerâmica, geralmente de médio e grande porte.    Muitos dos objetos ficam expostos na parte interna dos galpões e também nos jardins gramados e arborizados no entorno dos galpões, sendo que a área total é bastante grande e bem cuidada.   
     Visitamos a Oficina Brennand na parte da manhã toda, almoçamos na cantina próxima à portaria local e em seguida um taxi nos levou até o Instituto Francisco Brennand que apesar de ser próximo é separado por córrego e mata e então se dá uma volta para ir até o Instituto que será descrito no próximo artigo.      
     Visitar a Oficina Brennand foi ímpar e ainda por cima encontrar, bater um papo com o artista Francisco Brennad e até tirar umas fotos com ele, não tem preço.   Valeu muito a pena.   Recomendamos.

sábado, 6 de setembro de 2014

TURISMO - RECIFE - CENTRO HISTÓRICO (BRASIL)



Fotos by: Sonia Forsetto.   Acima - Santander Cultural, Associação Comercial e Centro Cultural da CAIXA.    Abaixo, Palácio das Princesas

    O nosso passeio pela costa pernambucana foi programado para quatro dias em Porto de Galinhas e quatro dias em Recife e Olinda e assim foi feito.   Já fiz neste blog três matérias, na ordem das visitas, sendo uma matéria de Porto de Galinhas, outra da Praia dos Carneiros e uma terceira de Olinda.   Estávamos em Recife no dia do sepultamento do Eduardo Campos, que era candidato à presidência da república.     Curioso que por lá o pessoal inclusive soltou fogos no evento, coisa não usual na minha região, mas cada um dentro da sua cultura.
     Optamos para nos deslocar do hotel em Boa Viagem (praia de Recife) até o Centro histórico de ônibus.   Saltamos perto do chamado Marco Zero, beira mar.   Farei alguns comentários sobre alguns lugares mais marcantes que visitamos, ao nosso ver.
     MARCO ZERO - fica ao lado do mar e de lá dá para ver numa elevação no mar umas obras de arte altas, da autoria do recifense Brennand segundo consta.     Alguns dançarinos de frevo com aquele guarda-chuvinha colorido próprio para  a dança prontos para alguns passos da dança e fotos com os turistas.   Não dá para resistir.
     PREDIO DO SANTANDER CULTURAL -  Em frente ao Marco Zero, com vista para o mar, um prédio muito bem conservado que atualmente é um Centro Cultural.   Estava aberto, mas optamos por não visitar por dentro pois se assim fizéssemos, não conseguiriamos ver de forma mais ampla os atrativos locais que são muitos.
     PRÉDIO DA ASSOCIAÇÃO COMERCIAL - (de 1913).    Uma bela obra arquitetônica e bem conservada.
     PRÉDIO DO CENTRO CULTURAL DA CEF -  Este prédio já abrigou a Bolsa de Valores da região no passado.   Também só visitamos por fora para ganhar tempo.
     No Marco Zero, em tempo, uma imponente estátua do Barão do Rio Branco, ícone da nossa diplomacia de todos os tempos, negociador que foi para que o Brasil conquistasse territórios como o ACRE e o AMAPÁ.
     TORRE MALAKOFF -  Um prédio alto que foi um Observatório Astronômico.     O nome do observatório leva uma homenagem a um grupo de russos que sofreram em um episódio no passado.  A Torre Malakoff deve ser do final do século XIX.    Bem conservado, serve inclusive como mirante, ao lado do Marco Zero, com vista para o centro histórico e para o mar.
     PASSO DO FREVO -  O local é um prédio antigo, muito bem conservado, dedicado ao frevo, que é a dança típica de destaque no Recife.
     SINAGOGA KALAI ZUR ISRAEL  -  Consta que foi a primeira sinagoga das Américas.   Um prédio discreto onde, segundo consta, funciona atualmente o arquivo judaico do Pernambuco.    No tempo dos holandeses por aquela região (1630-1654), não católicos, tinham tolerância por outras religiões e isso facilitou para que os judeus que atuavam no comércio local (inclusive dos engenhos e do açucar) edificassem a Sinagoga.    (Século XVII portanto).
    MONUMENTO AOS AVIADORES SACADURA CABRAL E OUTRO - Fizeram em 1922 a proeza de voar do Recife à Europa.   O monumento teria sido com apoio do governo português.
     IGREJA - CAPELA DE N.SRA.DA CONGREGAÇÃO MARIANA -  Se chama capela, mas é uma igreja grande, imponente e consta que na original é de 1689.
     MERCADO SÃO JOSÉ -  Um bem organizado mercado popular onde tem de tudo um pouco, inclusive do artesanato local e regional.   O prédio é de 1816.   
     IGREJA DE N.SRA.DA PENHA - (1870/1882)   Uma igreja bem conservada, com fachada pintada de rosa e branca.
     PALÁCIO DA JUSTIÇA (FORUM)  -  Um prédio antigo, muito bem conservado, que funciona como Forum e fica em frente a uma praça, tendo do outro lado da mesma, o Palácio das Princesas que é a sede do Governo do Pernambuco.
     NA PRAÇA - ESTÁTUA DE MAURÍCIO DE NASSAU -  A serviço da Holanda, foi o governador do domínio holandês na região do Pernambuco açucareiro com sede em Recife.
     PÉ DE BAOBÁ  -  Na praça em frente ao Palácio das Princesas e o Forum, há um imponente pé de baobá, árvore típica africana popularizada pelo autor do livro O Pequeno Príncipe - Exupery.
     PALÁCIO DAS PRINCESAS -  Atual palácio do governo do PE.   O nome segundo consta vem do fato de que, na passagem de Pedro II por lá, as princesas passearam e brincaram nos quintais do citado palácio.    Entramos no saguão de entrada e só não deu para visitar o palácio de forma mais ampla porque era feriado pelo sepultamento, no dia anterior, do Eduardo Campos que morreu em acidente aéreo durante a Campanha Presidencial 2014.   ( O palácio foi construido em 1841)
     O Palácio é muito bonito, amplo e bem conservado.  Vale a pena a visita.
     TEATRO SANTA ISABEL -   Em frente à mesma praça do Palácio e do Forum.   Avistamos de passagem e não chegamos a visitar o prédio em si.
     FORTE DAS CINCO PONTAS -   Eu gostaria muito de visitar esse forte que é amplo e muito bem conservado pelo que se vê nas fotos, mas não deu tempo e ficava um pouco fora do centro histórico que foi percorrido à pé.   Ao retornarmos de ônibus, passamos ao lado do Forte que realmente se destaca com sua arquitetura e solidez.
     PONTE MAURICIO DE NASSAU -   Uma ponte imponente no lugar onde houve outra dos tempos da colonização holandesa.


     

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

TURISMO EM OLINDA – PERNAMBUCO – CIDADE HISTÓRICA



Fotos da caçula Sonia Forsetto.   1 - Igreja N.Sra.do Carmo.   2 - Catedral.   3. artista popular local

     A cidade de Olinda, que fica vizinha de Recife, na verdade atualmente é uma cidade populosa (ao redor de 400 mil habitantes) e tem um centro histórico beira mar com um casario colonial majestoso e muito bem conservado em geral.    Visitamos a cidade em agosto de 2014.     Estávamos hospedados num hotel na Praia de Boa Viagem em Recife e de lá optamos por ir de ônibus urbano até Olinda que é pertinho.
     Logo na chegada ao local já se vê a Igreja de Nossa Senhora do Carmo, numa pequena elevação do terreno, com gramado em volta e em plena missa no momento da visita.   A igreja é de 1721.   A torre do sino fica do lado esquerdo de quem olha a fachada frontal da igreja.
     Em seguida, subimos a Ladeira da Misericórdia que é calçada com pedras irregulares (grandes) típicas da época do Brasil Colônia.
     No topo da subida da ladeira, à esquerda, a Igreja da Misericórdia – Nossa Senhora da Luz.     A igreja original do lugar era de 1599.    Foi incendiada na ocasião da luta dos portugueses para expulsar os holandeses que ocuparam a região por 24 anos entre 1630 a 1654.    O foco do interesse dos holandeses era o comércio de açúcar já que na região chegou haver na época da colônia, ao redor de 160 engenhos de açúcar.     A atual igreja de Nossa Senhora da Luz é de 1654, após a expulsão dos holandeses.  
     Academia Santa Gertrudes (1930)   Um prédio amplo ao lado direito da igreja de S.Sra.da Luz.   Ao que parece foi uma escola.
     Igreja e Convento N.Sra.da Conceição  -  próxima da igreja anterior, no lugar mais alto do centro histórico, de onde se vê a cidade e o mar.   Uma vista muito linda.   A igreja original naquele lugar é do século XVI e foi incendiada pelos holandeses em 1631 e depois restaurada.   No local se alojam freiras e é um dos primeiros conventos de freiras do Brasil.   Olinda é uma das cidades mais antigas do Brasil.
     Observatório Astronômico do século XIX -  Consta que o astrônomo Emmanuel Leais descobriu um novo astro em 1860 e a descoberta leva seu nome.
     Catedral da Sé – Catedral de Bom Jesus do Senhor Morto -  A primeira igrejinha no local foi construída em taipa de pilão entre 1534 e 1540.   A taipa não é durável e logo se deteriorou .   Foi edificado no local uma igreja maior, mas foi destruida no conflito com os holandeses.   Depois foi reconstruída num processo lento e foi concluída no século XVIII.      Dentro desta catedral há túmulos de vários religiosos, inclusive Dom Helder Câmara que foi um bispo nordestino que muito se destacou na época da resistência à Ditadura Militar de 1964.
     Almoço imperdível no pequeno restaurante de fundo de quintal chamado Casa de Noca.  Prato típico:   macaxeira (mandioca) cozida, carne de sol, queijo de qualho grelhado e manteiga de garrafa.  Uma delícia sem tamanho.
     Casarão antigo de esquina ao lado da igreja de São Pedro.   É de 1850 e chegou a hospedar o Imperador Pedro II em visita à região segundo consta.
     Igreja de São Pedro  - a particularidade da igreja é que há duas janelas dos lados do altar mor que não ficam visíveis do centro da igreja, mas entra a claridade no altar dando uma visão interessante.  
     Prédio da Prefeitura que já foi palácio de governo após 1656.  
     Casa pertencente ao cantor Alceu Valença que passa temporada por lá.  Fica na Rua São Bento, perto da prefeitura.
     Ruína do Senado, datada de 1710.   Fica perto da praça Laura Nigro.
     Mercado da Ribeira  -  Um centro de artesanato com sala onde ficam expostos bonecos gigantes usados no carnaval local.   O prédio é do fim do século XVII e no pátio do mesmo havia chafariz e pelourinho (tronco para castigar escravos).
     Mosteiro de São Bento  - O prédio original do mosteiro é do século XVI.   É o segundo mosteiro beneditino no Brasil.   Foi por 24 anos a primeira Escola de Direito do Brasil.   Teriam estudado nela entre outros Tobias Barreto, Castro Alves e José de Alencar, segundo o guia.   O prédio é amplo e muito bonito.   Ainda segundo o guia, um quadro de São Sebastião, de autor desconhecido, seria uma das obras de arte sacra mais caras do Brasil.
     O altar mor foi restaurado em 2001 e chegou a ser desmontado em seus 19 módulos para a restauração que durou 8 meses.   O conjunto do altar pesa ao redor de 14 t e após restaurado, foi enviado para um evento de arte sacra barroca (em 2001, após o 11 de setembro) para NY onde ficou exposto e foi inclusive premiado.
     Igreja de São Sebastião (em restauro) é de 1686.   Fica numa esquina.  É pequena.
     Largo do Viradouro e o Mercado Eufrásio Barbosa   - um prédio amplo, bem conservado e bem antigo.
     Há em Olinda mais uma série de igrejas do tempo colonial, assim como há muita história sobre o local, mas num dia o que deu para visitar e contemplar foi isso e valeu a pena.

    

     

domingo, 31 de agosto de 2014

PRAIA DOS CARNEIROS - PERNAMBUCO - BRASIL

               



Fotos da Praia dos Carneiros - By Sonia Forsetto (minha irmã)   

   No nosso passeio pelo litoral do Pernambuco em agosto de 2014, partimos de Porto de Galinhas numa excursão rumo à Praia dos Carneiros.   O trajeto foi feito em ônibus fretado por agência de turismo regional.
     A Praia dos Carneiros teria esse nome em homenagem, segundo o guia, a antigos donos da área que tinham esse sobrenome.     O local se destaca e chama a atenção pelas belezas naturais e a beira da praia não tem povoação em si e o acesso é relativamente restrito.    Há restaurante meio rústico na beira da praia e várias casas de veraneio à beira mar.   Muitos coqueiros e mata, inclusive manguezais, ajudam a deixar o lugar mais belo.
     Na beira mar há uma pequena igreja bem conservada em homenagem a São Benedito e consta que a mesma é do século XVIII.    Foi dito pelo guia que a mesma tem sido requisitada para casamentos, além da função normal de atender à população local.
     A praia em si é protegida por recifes de coral que quebram as ondas e entre os recifes e a praia praticamente não há ondas, o que é um atrativo para o gosto de vários banhistas que preferem mar calmo.
     No local há, segundo o guia, a foz de três rios que desembocam no mar e se vê na foz dos rios junto à praia, à esquerda da orla após a igrejinha, num barranco mais alto, um pedestal e uma cruz num lugar onde teria servido de local de vigia no tempo dos embates entre os holandeses e os portugueses pelo século XVII.    Haveria uma caravela afundada nessa região perto da foz dos rios e da praia dos Carneiros.
     Na parte de natureza, a foz dos rios, os mangues, a mata, os coqueiros altos, o mar com seus recifes e piscinas naturais, os bancos de areia na maré baixa e um local de barranco onde há argila que teria efeito medicinal e as pessoas tomam banho de lama.
     O passeio então é feito num pequeno giro num barco tipo catamarã (para águas rasas) que leva os turistas até a foz dos rios em percurso curto, sem perder o visual do ponto de partida.      A primeira parada é no local onde o pessoal desce para tomar o banho de lama (tirada de baldes) e banho de mar.  E seguida, o catamarã chega ao local próximo onde fica um longo banco de areia quase ao nível da água e o local é calmo e muito bonito.   Caminhadas com água molhando os pés e vista da natureza.
     Na parte final do pequeno giro, o pessoal desce do barco (catamarã) junto aos recifes que na maré baixa mostram algumas piscinas naturais na superfície dos recifes.   Sempre se tem que ter o cuidado para proteger os pés pois pode haver ouriços do mar ou mesmo algum tipo de concha que pode ferir a pessoa desavisada.
     Almoçamos no restaurante local e a comida era boa, servida num local coberto e aberto dos lados, com vistas para o mar e a foz dos rios.
     Em resumo, um belo passeio que agradou a todos, pelo suposto.          Agosto-2014

sábado, 30 de agosto de 2014

TURISMO EM PORTO DE GALINHAS E PRAIA DOS CARNEIROS




     Duas fotos da pousada e uma das piscinas naturais de Porto de Galinhas - fotos por Sonia Forsetto

   Neste mês de agosto de 2014 fomos passar oito dias em Porto de Galinhas e Recife, metade em cada local.    Primeiro fomos a Porto de Galinhas por uma razão muito especial.   Consta que é melhor verificar sempre a MARÉ BAIXA para poder ver melhor as chamadas piscinas naturais que se formam naquela praia e que faz dela uma praia especial.    A região é rica em recifes de corais que formam algo como uma muralha paralela à praia, ficando quase submersos na maré alta e mais aparentes na maré baixa.   Quando a água está baixa, os recifes aparecem melhor e, de forma controlada pelo orgão ambiental, as pessoas podem ir até os recifes ver os peixinhos que ficaram por hora "presos" nas piscinas naturais.    Sempre tem que haver muito cuidado para não pisar em ouriços do mar ou mesmo se cortar com partes do recife calcáreo que parece rocha.     No caso eu usei uma sandália emborrachada que deu estabilidade e segurança.   Os chinelos de dedo são emborrachados mas não tão estáveis em piso muito irregular.
     Em algumas piscinas naturais dá para nadar (sempre rasas) entre peixinhos coloridos.   À tarde, ao subir da maré, as piscinas são encobertas pelas águas e os peixinhos seguem o rumo do mar adentro.
     Nessa região das piscinas naturais há jangadas para passeios seguros, já que os recifes formam uma barreira natural que segura as ondas e entre os recifes e a praia é raso e sem ondas.   Fica um verdadeiro piscinão democrático, onde "nada" quem sabe tudo e nada quem não sabe nada de natação.
     Ficamos no Hotel Armação beira mar com uma infraestrutura excelente.  Fica distante uns 1.700 m das piscinas que são vistas à direita de quem olha para a praia.    Fizemos caminhada à pé pela praia da pousada até a "Vila" (como eles chamam o povoado de Porto de Galinhas que pertence ao município de Ipojuca-PE).   Há muitos hoteis e pousadas por lá.
     O povoado é relativamente bem estruturado e tem restaurantes para todos os gostos e os preços são razoáveis.  Tem até um pequeno "calçadão" onde os pedestres caminham no centro da Vila sem a presença dos carros, o que é ótimo.
     Então os quatro dias de Porto de Galinhas ficaram por nós assim divididos.  O primeiro dia foi da viagem de Curitiba a Recife por via aérea com conecção em São Paulo e translado de Recife até a pousada (110 km) em Van contratada via agência de turismo de forma prévia.   O segundo dia, foi a visita ao local da "Vila" onde ficam as piscinas naturais e o passeio pelas piscinas sem pressa.    Belas fotos do povo por lá, das jangadas e da praia com os recifes de corais.
     No terceiro dia, como tínhamos agendado previamente numa agência de turismo local, fomos conhecer (ônibus fretado) a Praia dos Carneiros, que fica num local bem "natureza".     Vou em seguida fazer uma matéria sobre a visita à Praia dos Carneiros que tem altas belezas naturais e particularidades.  Vale a pena também, assim como Porto de Galinhas.
     No quarto dia, voltamos para Recife, cujos passeios ao centro histórico de Recife e Olinda terá capítulos próprios aqui no blog em breve.    Visita também à Oficina Brennand e Instituto Ricardo Brennand.   Lugares ímpares.
     Não dá para deixar de registrar a arte do artesão Carcará.   Sua marca registrada é o conjunto de esculturas de galinhas feitas em troncos de coqueiros secos, sendo que as esculturas estão espalhadas pelas calçadas do centro da Vila de Porto de Galinhas.   Só nos faltou visitar o atelier dele.

domingo, 24 de agosto de 2014

CRONIQUINHA DO RECIFE - FASE DO PALMEIRAS

 Dias atrás, passeando lá pelo Recife e Porto de Galinhas, estávamos hospedados no Tulip Hotel na orla da Praia de Boa Viagem. Num dos dias, o agito da chegada do corpo do presidenciável que se foi. No outro, me aparece no hotel o time do Palmeiras. Estávamos em dois casais, sendo que meu cunhado é palmeirense, mas estava meio desanimado com o time e disse: Pois eu nem conheço mais os jogadores do meu time. Dali a pouco, no salão do café da manhã, momento com pouca gente no local, estávamos tomando café e bem perto da nossa mesa, o técnico do Palmeiras mais um jogador de bermuda inclusive.   Quando fomos servir nosso café, distante um pouco do jogador desconhecido, eu brinquei com meu cunhado: Aquele rapaz "CONSERTEZA" é jogador do verdão. Veja que ele tem perna de pau. kkk

Agosto de 2014

sábado, 23 de agosto de 2014

RESENHA DO LIVRO – DA MINHA TERRA À TERRA

RESENHA DO LIVRO – DA MINHA TERRA À TERRA
Livro do fotógrafo Sebastião Salgado (O fotógrafo da Luz) e da jornalista Isabelle Franqc – Editora Schwarcz – São Paulo – 2014 – 152 páginas – 1ª.edição

Resenha feita pelo Eng. Agr. Orlando Lisboa de Almeida

     Página 10 – O fotógrafo em Galápagos tentando fotografar uma tartaruga que não colaborava.  A forma que usou para “conquistá-la”.    Paciência e talento.   Ele rastejou um tempo grande até conquistar a confiança da tartaruga e só então ela fez poses.
     Página 10 – “É preciso descobrir o prazer da paciência”
     10 -  Lembra que Charles Darwin no passado fez importantes estudos em Galápagos na sua viagem no Navio Beagle.
     11 -  O fotógrafo Sebastião Salgado ficou em Galapagos por três meses em seu trabalho de fotografar no importante arquipélago.
     12 -  Os exploradores das novas terras na época da colonização (séculos XV-XVI) caçavam tartarugas em massa e colocavam vivas nas caravelas como estoque de alimento fresco por longo tempo.   Tornou as tartarugas mais arredias, quem sabe.
     13 – Albatroz, ave de grande envergadura de asas.  Os albatrozes são ótimos no vôo e ruins de decolagem e pouso.   Constatação do fotógrafo.
     15 – Ele é mineiro do Vale do Rio Doce – cidade de Aimorés – MG
     16 – Distâncias e tamanhos.   O Brasil é 15 vezes maior que a França em território.  Quando ele era menino, chegou a participar de marchas de até 45 dias com os peões que levavam gado da fazenda do seu pai até a cidade onde era feita a venda e o abate.    Diz que isso o ajudou em seu exercício da paciência e da contemplação da natureza.
     Conta que seu pai e equipe chegavam a levar de 500 a 600 porcos tocados à pé em marchas de 45 a 50 dias até a cidade onde tinha o ponto de venda e de abate.     Eles tinham tempo de conversar, olhar as paisagens.    “Essa lentidão é a mesma da fotografia”.      CONTINUA......   clicar abaixo, à esq.

domingo, 10 de agosto de 2014

RESENHA DO LIVRO – DIÁRIO DO CLIMA – SONIA BRIDI




crédito da foto:   https://www.google.com.br/webhp?sourceid=chrome-instant&ion=1&espv=2&ie=UTF-8#q=fotos%20da%20cordilheiras%20dos%20andes


     Resenha feita pelo leitor Eng.Agr. Orlando Lisboa de Almeida

     O Brasil está para participar da Cop 20 que tratará das mudanças climáticas e ocorrerá no Peru.  O Cop vem da precursora reunião de Copenhagen.
     A jornalista catarinense Sonia Bridi fez um giro pelo mundo em busca de levantar dados sobre os lugares onde as mudanças climáticas tem mostrado efeitos mais marcantes e dessa reportagem resultou o livro editado em 2012.
     Página 15 – Passagem por La Paz – Bolívia.   Altitude de mais ou menos 4.000 m acima do nível do mar.    Perto da capital tem o lugar chamado Chacaltaya que tem uma estação de esqui na neve que anda abandonada porque a neve “sumiu”.
     15 – Degelo constante na Cordilheira dos Andes, de forma atípica.   Os cientistas prevêem que em apenas 15 anos nos Andes não haverá mais gelo abaixo dos 5.000 m de altitude.
     16 – Os cientistas usam um cilindro que perfura a neve e tira amostra das camadas e estas, estudadas, dão noção do comportamento do clima em décadas e até séculos.   Também ao analisar troncos das árvores, nos anéis de crescimento, há parâmetros sobre como o clima se comportou em certo período.
     19 – A altitude expõe o ser humano ao risco de embolia cerebral.
     21 – A repórter (que já percorreu o mundo) disse que a Bolívia é um dos países mais autêntico na face da terra em suas vestimentas típicas do dia a dia e modo de vida, com destaque para o interior do país.  Há grandes populações indígenas como os Aimarás, os Quíchuas.
     21 – A repórter viu pelo interior da Bolívia irrigações com plaquinhas do USAID Agencia de Desenvolvimento Americana.    Explicaram lá que após o Evo Morales assumir o governo, este expulsou os americanos que exploravam o país e o povo local.
     22 – A cultura da quinoa, grão de alto valor nutritivo, que é base da alimentação da região.  
     25 – Uyuni – o maior deserto de sal do mundo (era mar que secou há 30.000 anos).
     27 – O salar é a maior reserva do minério LÍTIO do Planeta.   Cobiçado internacionalmente por ser muito usual em eletrônicos como celulares, etc.   É o metal mais leve que há.  Usual em baterias de celulares, etc.  (pesa 10% de uma convencional)
     28 – Consta que os automóveis são responsáveis por 18% das emissões de GEE no planeta.   GEE Gases do Efeito Estufa.  Os USA são responsáveis por 50% das emissões por veículos.
     35 – Passou por Cusco, que foi sede do Império Inca.  (no Peru)
     38 -  “O Peru é um dos países mais lindos que visitei”, diz a jornalista.
     40 – Machu Pichu é um local ameaçado pelas mudanças climáticas.  A mudança no clima tem trazido mais chuvas e chuvas mais fortes para lá, ameaçando o local.     CONTINUE LENDO....

quinta-feira, 31 de julho de 2014

RESENHA DA PALESTRA MÉDICA SOBRE AVC (DERRAME)



     Anotações feitas pelo Eng.Agr.Orlando Lisboa de Almeida
                  orlando_lisboa@terra.com.br

     A palestra foi proferida pelo Médico Neurologista Dr  João Rafael Sabbag do Hospital Evangélico de Curitiba no dia 29-07-14 no Rotary Club Curitiba Bom Retiro.
    
     AVC Acidente Vascular Cerebral.      Na tela de abertura da explanação já aparece uma frase de impacto e alerta:  “Uma em seis pessoas no mundo terá AVC em sua vida.   Esta pessoa pode ser você”.
     O AVC é a principal causa de óbito no Brasil e de afastamento do trabalho, via INSS.     Dia 29-10-2012 foi o Dia Mundial do AVC.   O símbolo da campanha tem a cor Azul.
     A doença tira a independência da pessoa, dependendo do grau das seqüelas.
     Dos AVC, 85% são tipo Isquêmico e 15% do tipo hemorrágico.
     No Brasil, 50% dos AVC ocorrem acima dos 75 anos de idade das pessoas.
     Em termos mundiais, o AVC é a segunda causa de óbito.
     A taxa de letalidade da doença está entre 10 e 55%.
     No Brasil, base 2010, morreram 100.000 pessoas de AVC.   No Brasil as mortes por AVC e infarto estão aproximadamente na mesma proporção.
     O AVC isquêmico é decorrente de obstrução de veia/artéria   (é o mais freqüente).
     No caso da mulher, a combinação de anticoncepcional associado ao tabagismo, aumenta o risco de AVC em vinte vezes.
     No Brasil, 40% dos afastamentos do trabalho (via INSS) por incapacidade física é decorrente do AVC.
      Controlar a pressão sanguínea é muito importante para prevenir.
     Controlar a diabetes também é importante.
     Colesterol alto – gordura no sangue – risco de AVC
     Tabagismo – o cigarro é nocivo à saúde e aumenta risco de AVC, assim como o alcoolismo.
     O palestrante disse que um tratamento para deixar de fumar é 20 vezes mais barato do que acudir a saúde da pessoa fumante nos casos de doenças associadas ao vício.
     Obesidade – também predispõe a pessoa ao risco de AVC.
     Exercício físico regular ajuda a pessoa a se prevenir de doenças em geral e do AVC em particular.
     Evitar excesso de sal e gorduras na alimentação do dia-a-dia.
     Fazer exames médicos regulares também é um “santo remédio” – prevenir.
     Em caso de suspeita do AVC, levar a pessoa afetada o mais urgente possível em busca de atendimento médico.
     Uns testes que a pessoa pode fazer junto à pessoa suspeita de estar na ocorrência de um AVC:      (geralmente os sintomas incluem forte e repentina dor de cabeça)
     SAMU
     S – sorria.     Ver se a pessoa consegue articular os lábios corretamente.
     A – abrace -   Ver se a pessoa consegue erguer os braços – dar um abraço (coordenação motora) – perda súbita da força muscular.
     M – música – ver se a pessoa consegue falar e entender o que o outro lhe fala.
     U – urgente -   chamar o socorro se for o caso.          SAMU 192
     Aja rápido.   Tempo perdido é cérebro perdido.
     Em alguma situação, o prosaico medicamento AAS ácido acetil salicílico pode ser um auxiliar em questão circulatória.   Sempre com orientação médica.

     No caso de suspeita de AVC, não alimentar a pessoa pois nesse caso pode haver bronco aspiração e complicar a recuperação do paciente.  (alimento ir para as vias respiratórias).
     Remédio de uso em hospital para AVC isquêmico (o mais freqüente):   ACTILISE.
     O remédio visa desfazer o coágulo e a obstrução da circulação sanguínea no local afetado.
     Quando a pessoa tem mais de 80 anos de idade, em geral se coloca um cateter para colocar o medicamento (em dose menor) na região do coágulo.
     Há casos de AVC hemorrágico em que tende a inchar o cérebro e pode ser necessário abrir uma “janela” no osso craniano para o cérebro expandir o volume no momento da ocorrência.   Controlado o problema, se repõe o osso.
     Mensagem final:    EM CASO DE AVC – TEMPO É CÉREBRO.

     Espero ter entendido de forma adequada o que foi repassado e eventuais pisadas na bola de minha parte, leigo que sou, peço desculpa.



     

sábado, 19 de julho de 2014

SOBRE A HOSPEDAGEM DOS ALEMÃES NA BAHIA E O LEGADO


Na verdade, falar da Copa já é coisa meio do passado, mesmo que recente. Mas o que eu colocaria abaixo é uma boa dose de desapontamento com "notícias" que viram verdade e se espalham como febre pelo Face e que se colocarmos um pouco mais de luz na questão, vamos ver que podem NÃO SER VERDADEIRAS. Então vejamos: Diziam que os alemães optaram por eles mesmos contruirem um centro de treinamento (numa praia da Bahia) e que ao partirem, o tal centro com sua estrutura ficaria para a comunidade local. Falavam que o ponto alto da estrutura envolvia uma Escola e campo de futebol. O OUTRO LADO - Vou falar baseado em artigo da Folha de SP que enviou para lá um reporter que fez as averiguações e depois fez a reportagem na página D2 do dia 18-07-14 com o título: DÍVIDA AMEAÇA RESORT NA BA QUE HOSPEDOU SELEÇÃO ALEMÃ. Vou abaixo passar o link da íntegra da matéria. Mas já adianto alguma coisa:
1 - A obra é de dois empresários alemães que aqui vivem e não foi doada para ninguém;
2 - Nada de Escola para a comunidade - é um Resort
3 - Convenceram os alemães a lá se hospedarem como truque de marketing
4 - Lá é uma APA - área de preservação ambiental. Para lá construir tem que pagar taxa de compensação ambiental. Consta que a promotoria está cobrando a taxa que não teria ainda sendo paga.
5 - Tem também rolo com obras de arte entre o Resort e a lei.
Conclusão. Infelizmente é comum se partir do "nada" e o pessoal espalhar pelas redes sociais informações sem FONTE adequada e uma mentira enganar meio mundo. O reparo da mentira não vai chegar nem a 0,00000001% dos que leram a mentira.


Curitiba PR, 19 de julho de 2014     orlando_lisboa@terra.com.br

Tenho um blog de resenhas de livros lidos    www.resenhaorlando.blogspot.com.br

sexta-feira, 11 de julho de 2014

BELO HORIZONTE (MG) É MAIS QUE COPA - CIDADE TURÍSTICA



            (a foto foi retirada do Google)
 
Um dia, não faz muito tempo, minha filha caçula ia prestar um concurso em BH e me convidou para acompanhá-la.   Fomos por via aérea, do Paraná a BH.    Já no caminho entre o aeroporto e a cidade, já vimos prédio projetado pelo Oscar Niemeyer.    Depois, fomos conhecer um pouco do campus da UFMG Univ.Federal de MG que tem bastante área jardinada, gramada.   Fomos  (de sábado a segunda feira - o concurso dela era no domingo) visitar a lagoa da Pampulha que é o Ibirapuera deles.   Ao lado do lago, várias obras de Oscar Niemeyer como a Casa da Dança, a Igreja de São Francisco e outras obras.    Fomos ao zoológico e o destaque foi ver um setor onde a empresa Furnas custeou a formação de um grande aquário com vários setores, sempre com peixes da fauna do Rio São Francisco.   Também estivemos no Bairro do Savazi (bairro chique deles) e lá visitamos um Shopping e nele jantamos.   Depois fomos ali perto do shopping para ver uma Torre (prédio com mirante) no alto do morro.   Chegamos ao local da Torre/mirante as 22.15 e esta tinha "fechado" as 22 h.   Mas no quarto andar da mesma  (que tem até um Hard Rock Café) conseguimos, de um restaurante chines, apreciar a paisagem noturna da cidade e fazer umas belas fotos.     Visitamos também o Mercado municipal que é imperdível.   Tem inclusive boteco onde fica apinhado de gente no corredor tomando cerveja em pé.   Achamos que valeu muito a pena o passeio.    Não deu para ver mais coisas de BH por falta de tempo, mas ainda conseguimos dar uma corridinha até Ouro Preto-MG para conhecer um pouco daquela famosa cidade histórica.   Nota dez.

orlando_lisboa@terra.com.br

domingo, 29 de junho de 2014

CURITIBA E O LEGADO DA COPA DO MUNDO - 2014


      Crédito da foto:  https://www.google.com.br/search?q=foto+do+jardim+botanico+de+curitiba

CURITIBA E O LEGADO DA COPA -   Assim meio de bate pronto, um balanço do que vi e me informei sobre obras que foram deflagradas pela Copa e que foram implantadas e se incorporam ao nosso cotidiano, nos ajudando no dia-a-dia.
1 - Reforma da Rodoferroviária.   O prédio passou por uma demorada reforma (um quase parto da montanha), mas ficou pronto no acender das luzes da Copa.    Está lá firme e forte, novo em folha, com escalas rolantes, tudo mais arejado e até paineis de TV informando as horas de partida dos ônibus.  Muito bom.
2 - Alargamento da via Curitiba- Aeroporto de S.J.dos Pinhais-RP.  São 20 km de pistas super movimentadas que ligam Curitiba ao Sul do Brasil.  Portanto nosso Aeroporto fica na cidade vizinha (S.J.dos Pinhais) e o asfalto estava com poucas pistas e mal conservadas.   Nas obras feitas, alargaram as pistas e recapearam tudo.   Melhorou para meio mundo que passa por ali, não só em demanda ao Aeroporto, mas ao Sul do BR.
3 - Arena Curitiba (Arena da Baixada).    Foi um verdadeiro perereco (a arena é privada e foi de rosca a reforma) mas ficou pronta, a bola rolou e o povo gostou.   Tá lá, firme e forte.  (fomos até ver um jogo da copa lá e achamos que ficou legal)
4 - Aeroporto -  Fizeram ampliação geral e também está em andamento a upgrade (melhoria-modernização) do sistema ILS Cat, que está partindo da versão II para a versão III para operar com neblina.   A atual versão II permite operar com neblina até bem densa.   Consta que na versão III prevista para ser concluida até julho-15, dá para pousar-decolar até com visibilidade Zero.   Mais segurança para quem viaja.   E menos atrasos.
5 -  Turismo -   Os jogos da copa trouxeram muitos turistas do BR e do exterior, que foram muito bem recebidos.   Além dos jogos, tem muitos pontos turísticos da cidade para serem visitados e agradaram quem viu.  Foi semeada a publicidade inclusive pela exposição na TV para o BR e o mundo.  Certamente potencializa o turismo e isto é bom para todo mundo por aqui e para os que nos visitam.
VALEU A PENA!!!

quinta-feira, 12 de junho de 2014

COPA EM CURITIBA - EXPOSIÇÃO DE ARTES E FILMES DO IRÃ - PROGRAMAÇÃO

      Segue abaixo o site no qual consta a programação, cujo recorte coloquei em seguida à citação do site.    Consta que ambos eventos são de qualidade e merecem ser visitados.   Devo ir lá conferir.


http://www.cultura.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=1802&tit=Exposicao-e-mostra-de-
filmes-trazem-um-pouco-da-cultura-do-Ira-ao-Museu-Paranaense


Programação de filmes
Dia 12 – O Filho de Maryam, de Hamid Jebelli, 2007
Dia 13 – M de Mãe, de Rasoul Mollaghholipour, 2010
Dia 14 – Procurando Elly, de Asghar Farhadi, 2009
Dia 15 – José, de Farajallah Selhashoori, 2011
Dia 17 – Maria – A Mãe de Jesus, de Shahryar Bahrani, 2002
Dia 18 – Um Tempo para Amar, de Ebrahim Forouzeeh, 2012
Dia 20 – O Balão Branco, de Jafar Panahi, 1995
Dia 21 – A Separação, de Asghar Farhadi, 2011

Exposição “A Beleza da Cultura Iraniana”
Data: 11 a 19 de junho de 2014
Horário de funcionamento: de terça a sexta-feira das 9h às 18h. Sábados, domingos e feriados das 10h às 16h. 
Museu Paranaense - Rua Kellers, 289 - São Francisco. Curitiba - PR
Informações: (41) 3304-3300
Entrada gratuita

Mostra de Cinema Iraniano
Data: 12 a 21 de junho de 2014 (não haverá sessão nos dias 16 e 19)
Horário das sessões: 15h
Local: Sala Oldemar Blasi - Museu Paranaense - Rua Kellers, 289 - São Francisco. Curitiba - PR
Informações: (41) 3304-3300
Entrada gratuita
Fonte: SEEC  

domingo, 1 de junho de 2014

LANCEI MAIS UM BLOG - DE RESENHAS DE LIVROS LIDOS

     Este blog no qual "vos falo agora" foi lançado faz uns cinco anos e está com quase 30 mil acessos, o que me deixa feliz por poder contar com uma boa legião de leitores, sendo que destes, tenho 80 seguidores.   Como gosto da leitura e tenho inclusive uma biblioteca bem diversificada e catalogada pelo sistema CDD Classificação Decimal de Dewey, há vinte anos faço um "apanhado" que eu chamo de resenha (apesar que tecnicamente não é uma resenha no sentido exato do termo) de cada livro que leio.  Anoto tudo em manuscrito em cadernos especiais com índice e numeração de páginas.  São 11 volumes completos.  Manuscrito não dá pau nem pega virus.   Recentemente comecei colocar umas das resenhas no word e assim resolvi colocá-las num blog novo, específico para as resenhas.  
   
Segue o endereço do meu blog de resenhas:

www.resenhaorlando.blogspot.com.br  

Espero que gostem do resultado.   Fraterno abraço do Eng.Agr.Orlando Lisboa de Almeida
                                                            orlando_lisboa@terra.com.br

terça-feira, 20 de maio de 2014

FOTOS DE HERVAL D´O OESTE-SC E TREZE TILIAS - SC

     Um pé de mamão que nasceu num local inusitado em Herval D´Oeste - SC
                  Foto de Orlando Lisboa de Almeida    (OLA)
        Foto do Frei Bruno no alto da montanha em Herval d`Oeste - SC   Foto OLA
    Um gafanhoto bem grande aos pés da estátua de Frei Bruno -   Herval    - Foto  OLA

      Cidade em miniatura - Treze Tílias - SC   (colonização tirolesa) - Vale do Rio do Peixe

quarta-feira, 16 de abril de 2014

RESUMO DO FORUM LIXO & CIDADANIA – CURITIBA – PR.

Local do Evento:    Auditório do Ministério Público do Trabalho – 9ª Região        10-04-2014

Anotações feitas pelo Eng.Agr. Orlando Lisboa de Almeida – filiado ao Senge Sindicato dos Engenheiros no Estado do Paraná.                     (ao todo, são sete falas anotadas)

     A reunião do Fórum foi na parte da manhã e contou com aproximadamente 130 pessoas entre as lideranças dos Catadores de Recicláveis (que são os protagonistas do Fórum), dos órgãos de governo ligados ao tema  (prefeituras, universidades, secretarias de meio ambiente, etc), apoiadores do tema geralmente ligados a entidades da sociedade civil. 
     A mesa dos trabalhos hoje foi composta pelo Promotor Dr.Sinclair e pela líder ligada ao Movimento Nacional dos Catadores, Marilza Aparecida de Lima, que atua a partir de Curitiba.

     Primeira fala -  A convidada foi a Sra.Conceição que veio representando o COEP fundado pelo Betinho, Comitê de Cidadania.    Ela veio falar um pouco do Premio Betinho que foi criado em 2008 para agraciar pessoas que atuam em ONGs.  Troféu Atitude Cidadã.  Cada ano o prêmio tem um foco e o deste ano foi na questão dos Catadores de Recicláveis.   Ela trouxe um troféu e revelou quem ganhou o mesmo, de uma lista de três catadores destacados:  Carlos Alencar de Cavalcanti, Valdomiro Ferreira da Luz e Marilza Aparecida de Lima.   Os três estavam presentes no evento.   O troféu coube à Marilza Aparecida de Lima, que ficou emocionada e foi muito aplaudida pela conquista.
     A Marilza é catarinense de Santa Cecília e atua em Curitiba como catadora desde 1996.
     Em seguida, como de praxe, as pessoas presentes se apresentaram.  Nesta data havia inclusive lideranças do setor de SC, RS, DF.   O prefeito de Ampere-PR participou também.   Havia bastante representantes dos catadores de Guaratuba-PR. 

     Segunda fala -   Representante da Fundacentro – de São Paulo  - Dedicada à questão do trabalho.
     Ela elogiou o Fórum Lixo & Cidadania pela união e a força que tem.
     Em estudos da Fundacentro, analisam a questão do catador de recicláveis em serviço, envolvendo fatores de risco (necessidade de luvas, etc.) e também no seu ambiente doméstico com a qualidade da moradia, da água, se tem esgoto, etc.

     Eles possuem vídeos e cartilhas, sempre buscando ter a participação dos catadores nesses tipos de materiais de divulgação de ações.   Tem site na internet onde é possível ver os vídeos e cartilhas.    www.fundacentro.gov.br
     Há pesquisadores da Fundacentro trabalhando diretamente com catadores.
     Os catadores ainda são discriminados muitas vezes.   Transportam até 170 kg de carga nos carrinhos manuais.   Riscos de cortar as mãos, contaminação, sol, etc.
     No caso de São Paulo, alguns catadores são sem teto (moram na rua), estão expostos aos riscos das drogas, alcoolismo.
     Lembrado que atualmente o governo federal reconhece oficialmente a profissão de catador de recicláveis e há meio dos mesmos inclusive se formalizarem e poderem ter a assistência e previdência do Estado.
    O lema da Fundacentro:      “Fundacentro – trabalhando para quem trabalha”.
     Terceira fala – Sr.Raul – ligado à FUNASA – Fundação Nacional da Saúde
     Ele lembrou que há edital para chamamento à pesquisa na área.  O pessoal pesquisador não tem se interessado em desenvolver trabalhos nessa área dos resíduos sólidos.
     Ele fez a entrega de um caminhão novo para a entidade CATAMAR para a coleta de materiais recicláveis.   Resultado da organização dos catadores.     (continua.... )

EVENTO EM CURITIBA SOBRE A CRISE NA VENEZUELA


Local e data:    Sede do Senge Sindicato Dos Engenheiros no Paraná.  26-02-2014

     O evento foi promovido por mais de vinte entidades progressistas da região em apoio ao governo institucional da Venezuela frente à crise política atual.
     Como anfitrião, fez a abertura do evento o Engenheiro Goulart, membro da Diretoria do Senge e ativista nas lutas pela cidadania de forma ampla e articulada.
     As entidades apresentaram no  início dos trabalhos, um pequeno vídeo institucional que foi usado na época da campanha à presidência do Hugo Chaves.
     O Goulart fez uma explanação bem sintética sobre as lutas do povo pelo mundo.   Em 1951 o Irã nacionaliza a indústria do Petróleo contrariando as potências do mundo.  Uma atitude tomada pós guerra mundial.    Contrariou frontalmente os interesses dos americanos que, através da CIA, articularam para derrubar do poder do Irã as forças políticas que haviam nacionalizado a indústria do petróleo.
     Mais pra frente, a derrubada do governo da Guatemala, Chile...
     Na atualidade as ações do imperialismo são os chamados “golpes lentos” via ações na mídia.  Vão minando quem está no poder pelo mundo e que não fazem o que é do interesse do império.     
     Lembrou o caso recente do golpe branco no Paraguai.
     No caso da Venezuela.     Chaves, do Grupo de Paraquedistas, tenta um levante em 1992.  Não consegue o intento, mas marcou sua liderança junto ao seu povo.    Posteriormente assumiu a presidência pelo voto.

domingo, 30 de março de 2014

PROGRAMAÇÃO DA EXPOINGÁ - MARINGÁ - PR. MAIO-2014

    


foto: crédito do site : www.google.com.br/search?q=fotos+da+expoinga+-+maringa


VEJAM AÍ OS SHOWS DA EXPOINGÁ, QUE ACONTECE EM MAIO. 
     Dica publicada no Face pelo amigo jornalista de Maringá Airton Donizete.
 
Confira nossa grade completa de shows: 

08 de maio - Ministério A Ti + Livres (com Juliano Son) + Thalles Roberto
09 de maio - João Bosco & Vinícius
10 de maio - Paula Fernandes
11 de maio - Fernando & Sorocaba
12 de maio - Os Paralamas do Sucesso
13 de maio - Padre Reginaldo Manzotti
14 de maio - Claudia Leitte
15 de maio - Cristiano Araújo
16 de maio - Rodeio
17 de maio - Rodeio
18 de maio - Rodeio


Recomendo porque a feira costuma ser excelente e ocorre todo ano envolvendo a semana que contempla o dia do Aniversário da cidade.   10-05.

quinta-feira, 27 de março de 2014

BRASILEIRO APOIA O POVO PARAGUAIO QUE LUTA CONTRA A PRIVATIZAÇÃO


                   A bandeira eu destaquei da wikipédia


Sobre a questão do Paraguai, o que agrava o problema é que as leis da Privatização da forma que foram aprovadas TIRAM da população o direito de buscar na justiça a reparação de danos que as privatizações trouxerem às pessoas. Na democracia há três poderes que tem que atuar em harmonia. Quando um poder, no caso, o Executivo de lá consegue uma lei que impeça o cidadão prejudicado pelas Privatizações de ir buscar o apoio da Justiça, adeus democracia. Uma pena. Isso vai fazer o povo entrar em ebulição e não é nada bom para ninguém, inclusive no Brasil.

sexta-feira, 21 de março de 2014

AS BIZARRIAS DAS FOTOGRAFIAS


                               

                               (foto de 1983 por aí - a provinha citada abaixo)

     Não sou e nunca me senti um cara azarado.   Por outro lado, no quesito fotografia, digamos que não levei muita sorte ao longo do tempo.  Senão vejamos.
     Capítulo 1 -  Em criança.   No sítio foto era "retrato" e era raro.  Nada de foto de nenê que seria em estúdio, na cidade e essa mordomia não me pertenceu na então pequena Cerquilho-SP.    As primeiras fotos seriam da minha primeira Comunhão.  Seriam.    Meus pais acompanharam a cerimônia na Capela do Bairro Represa e depois teria a foto clássica de joelho em frente ao altar.   Os pais tiveram que voltar mais cedo para casa e deixaram meu irmão para cuidar de mim e ele não cumpriu o protocolo e eu fiquei sem a foto clássica.   Só uma da turma toda da Primeira Comunhão daquele dia, aos sete de idade.  Numa escadaria, só dava para ver a cabeça de cada um, foto tirada meio de longe para sairem todos.   Então, um a zero pro adversário...
    Capítulo 2 - Foto do jovem para Carteira de Trabalho  -  Foto 3x4 no estúdio do Seo João (alemão) da foto de Mauá-SP.   A foto até que saiu e já pedi logo um punhado para não ter que ficar tirando foto meio sempre.    Além do mais, quanto mais fotos, mais barato por unidade.    Na hora de pegar a foto, achei que fiquei tão diferente que o fotógrafo espalhou na mesa um monte de fotos 3x4 e a minha no meio e eu nem consegui me reconhecer.   Dois a zero pro adversário.
     Capítulo 3 -  Foto de Casamento -  Sairam muitas fotos "normais" tiradas por um fotógrafo do ramo, mas teve uma após o casório, que ele me pediu para segurar o buquê da noiva.  Achei estranho, mas o fotógrafo é aquela coisa mística que manda no freguês.   Ensaiei até uma pose e tal, pra lá de desajeitado segurando o buquê.    Quando veio a foto pronta, tamanho quadro de parede e estava lá o buquê ocupando todo o tema e numa montagem, uma imagem dos noivos no meio do buquê.  Pois é, desta vez foi 2x1 pro adversário.
     Capítulo 3-A - Fotos da Lua de Mel em Águas de Santa Bárbara-SP.    Até a véspera do casamento, organizado como nunca, ainda não tinha uma máquina para tirar as fotos da viagem.  Emprestei uma Olympus Trip 35 que era uma das ferinhas da época.     Levo na foto, mando colocar um filme de 36 poses (coloridas!) e vamos que vamos.   Foto de cá, foto de lá, foto de acolá, dentro e fora da piscina de água termal.   Acabou o filme.   Levamos a máquina (eu não sabia retirar o filme) para a única Foto da pequena Águas de Santa Bárbara.  Nos atende uma senhora pra lá de idosa.  Não sabia retirar o filme e acabei tentando e abri a máquina.  Lá se foram as fotos todas.    Depois, ao entregar a máquina ao amigo ele me disse:   Mas é tão simples. Veja esse pininho aqui em baixo.  Aperta ele, que destrava a manivela e depois é rebobinar o filme.  Terminado, abre a máquina e troca o filme.    Desta vez, quatro a zero (goleada) para o adversário.
     Capítulo 4 -  Casado, um dia resolvi deixar a barba crescer, em consenso com a esposa.   No calor de Umuarama-PR, um dia achei que deveria me livrar da barba e lá vou eu ao fotógrafo.  Foto do Sato.  Tiramos várias fotos de frente, de perfil.   Um dia fui lá e ele deu a notícia.   Na mudança da foto para outro prédio, sumiu o filme e só ficaram três "provinhas" em preto e branco, tamanho 6x6 mais ou menos.   Tenho a provinha só de recordação da versão com barba.    Um a zero pras fotos.
     Capítulo 5 -  Outra vez em Umuarama, foto 3x4 para documento na foto perto da Buri, na Praça do Bar Carioca.     Tirei a foto e na hora de ir buscar, parecia normal, mas o cara disse que eu poderia levar as fotos de graça e explicou.   É que o foto-célula (ou coisa parecida) não funcionou e só jogou luz de um lado e você ficou com um lado mais claro e outro menos claro.   Que vá!   Um a zero pro adversário de novo.
     Capítulo 6 -  Voltando um pouco, na minha formatura.   Foto solene na missa de formatura.   Olhei as provas e encomendei umas duas fotos.   Ao revelar, saiu foto do pessoal do banco à frente do meu. Até são meus amigos, mas nada de Orlando na foto.   Um a zero novamente.
     Deve ter outros capítulos que não me lembro agora, portanto, se eu estiver em pose de foto, sai de perto.  Tá avisada, galera!    kkkk

quarta-feira, 19 de março de 2014

MAUÁ MEMÓRIA- CRÔNICA DE JOVENS DOS ANOS SESSENTA

  MAUÁ MEMÓRIA- CRÔNICA DE JOVENS DOS ANOS SESSENTA
Autor:  Orlando Lisboa de Almeida
     A cidade de Mauá dos anos sessenta era um local de imigrantes do interior de São Paulo e muitos outros estados na busca por emprego e melhoria das condições de vida.   A família deste cronista foi uma dessas famílias do interior de São Paulo que migrou para Mauá em 1961 em busca de emprego com carteira assinada e a tentativa de estudar os filhos e conseguir uma casa própria  ao longo do tempo.
     Vamos tentar nesta crônica expressar um pouco das opções de lazer que os jovens tinham por aqui nos anos sessenta, numa cidade pequena (uns 40.000 habitantes), grande maioria das ruas sem calçamento e pouca gente motorizada.   A rotina do jovem da minha época era, na locomoção, andar  “de sola” – à pé, de bicicleta, de ônibus ou de trem.  
     Uma das opções de lazer da época era ir aos Parques de Diversões que eram colocados temporariamente num terreno baldio e lá era um espaço democrático ao menos para estar no meio do povo, paquerar e bater papo com os amigos.   Para usar a estrutura do parque, era comprar o bilhete e ter uns minutos de ação em opções como roda gigante, chapéu mexicano, Mulher gorila, tiro ao alvo e outros.
     Fim de semana, uma das poucas opções era ir ao centro da cidade e se encontrar com os amigos nas lanchonetes para um bate papo ou mesmo para de lá ir a um Parque de Diversões ou bailinho.   Na lanchonete, uns refrigerantes e uma cervejinha ou outra, conforme o bolso comportava.   Muitos dos amigos que frequentavam a lanchonete trabalhavam de dia e estudavam à noite.   Vida dura e suada.
     Bailinho na casa dos amigos.   Tempo dos Anos Dourados, da eletrolinha que tocava discos de vinil acionada a pilha ou eletricidade.    A eletrolinha Delta era muito utilizada e hoje em dia é comum acharmos fotos dela nas buscas na internet para matar a saudade.     A Delta parecia uma malinha plástica, sendo a base a eletrola em si e a tampa, a  parte dos alto falantes.    Era prática.
     Pescaria na Represa Billings de vez em quando era uma das opções dos amigos em fim de semana.    Peixe mesmo era mais o detalhe, pois o que valia mesmo era o lazer e estar junto com os amigos.   A tilápia pequena era praticamente o único peixe que conseguia viver na represa que já era poluída na época.  
     O cinema Symaflor (da família Milanezi – Sylvio, Mário e Flora – iniciais do nome do cinema) era uma das opções de lazer nos fins de semana para a moçada se encontrar, paquerar e assistir filme.   O cine era novo, récem mudado do antigo prédio que depois foi demolido e ficava onde hoje há uma agência do Banco do Brasil no centro da cidade.
     Excursão dos estudantes de vez em quando para lugar não tão longe, que não ficasse caro e que poderia partir cedinho e voltar à noite.    Viagens para o Lago Azul em Americana-SP, Águas de Lindóia e outras cidades não tão distantes.   As excursões eram um acontecimento de amizades e paqueras memoráveis.
     Futebol Amador – ir assistir uma pelada poderia ser uma opção, comumente em campos até sem gramado.  Um deles era o do Vila Vitória, campo em frente ao portão do Cemitério local.   No centro tínhamos os clubes do Independente e do Industrial que possuíam campos pela cidade.   Era um dos poucos tipos de lazer ao ar livre para as pessoas da época.    No dia do Trabalhador, era comum as empresas juntarem seus times para um Festival.   Jogos de duração curta, quem perdia ia ficando de fora e os outros iam ficando até se chegar ao campeão do dia.   Era gente de todo que era canto.  Um dos campos era o do Cerâmica, ao lado da então Cerâmica Cerqueira Leite.
     Ainda no futebol amador, me ocorre o nome dos times do Flor do Morro, no Bairro Salgueiro (perto da minha casa na Vila Bocaina) e o Juá, do Jardim Zaira.
     Carnaval nos clubes.   Destaque para o Industrial e Independente.   Eu e minha turminha frequentávamos o Independente, do qual eu era sócio proprietário.  Os carnavais por lá eram muito animados e muitas paqueras rolavam por lá, o que dá saudade.    Carnaval e Revellion eram esperados pois em ambos a festa era carnavalesca com muito agito e muita alegria e congraçamento.

     Era um tempo de ruas descalças, carro raro, telefone fixo raro nas casas, mas nada disso era impedimento para a moçada agitar no bom sentido, curtir a vida e deixar saudade desse tempo.