Total de visualizações de página

Translate

Google+ Followers

terça-feira, 21 de setembro de 2010

PAZ NO TRÂNSITO E ALGO MAIS

       ***
     Eu, do alto da minha pequenez, há alguns anos tomei a decisão unilateral e cabal de mandar pro pau o tal do bom senso.    Depois de muito matutar, cheguei à conclusão que o dito cujo bom senso não existe.   O que é uma medida, um divisor de águas para mim, pode não ser para outras pessoas e vice versa.     Quem mora em condomínio, por exemplo, vive cada situação com a vizinhança que vem corroborar essa de que o bom senso já era.    Cachorro em apartamento, antes de revogar o bom senso, achava que quem tivesse, poderia tê-los de raças pequenas como pincher, basset (é assim que se grafa?), poodle e assim por diante.  Mas que nada!   A turma tem aquita, collie e por ai vai.   
     Agora, a gota d`água que bateu carimbo e reconheceu firma da minha revogação do bom senso:  Meu amigo Carlinhos representante comercial, que de diminutivo tem o nome de guerra e além de ser uma grande pessoa humana, é um cara muito, mas muito bem humorado.     E o tal frequenta uma paróquia perto do Ginásio do Chico Neto, em Maringá.    Pois na tal paróquia tem um quase amplo estacionamento para os fiéis entrarem com o carro ao lado da igreja ao irem à missa.    Um belo domingo, dia reservado ao Senhor, nosso amigo Carlinhos ia chegando na igreja e viu esta cena:   tinha uma fila básica na pista da direita da rua para entrar no estacionamento.  Eis que chega um cidadão com seu carrão, fora da fila e chegando no portão que só cabe um carro por vez, "embica" seu carro, travando tudo.  Nem ele conseguia entrar, nem os da fila.   E ficou ali acelerando, insistindo para entrar.   A pura gota d`água!
     Imaginar um cidadão destes no "corpo a corpo" do trânsito da cidade na hora do rush.   É um tanque de guerra blindado numa batalha.     Então notamos que não somos violentos só no trânsito.   Estamos ficando cada vez mais individualistas, mais olhando só o nosso umbigo e nos esquecendo logo do próximo, aquele que o Criador pediu que olhássemos com carinho para ele.   Mas nem tudo está perdido.
    Hoje em Maringá houve uma concorrida cerimônia ecumênica de casa cheia, envolvendo uma gama razoável de denominações religiosas, num evento para todos orarmos juntos pela Paz Mundial.    Melhor acender uma vela, que ficar maldizendo a escuridão.    Há luz no fim do túnel sim!!!  Tenhamos fé, que vale a pena.
***   (figura do site www.streetcustoms.com.br    pateta: um motorista maluco)

2 comentários:

  1. isso porque o cara estava indo na igreja, justamente partilhar um momento com seus irmãos... irmãos, é claro, desde que permitam que ele estacione o carro
    affffff

    bjs

    ResponderExcluir
  2. A quem diga que o carro transforma as pessoas, conheço pessoas das quais dou graças a Deus não ter um revolver no carro... mas fora dele não se diferencia muito de um poodle de casa...
    Quanto ao bom senso, bom... ou melhor, mal... não significa vantagem... assim como ética não significa lucro ou compensação. Eu diria que ambos são quase como um estado de espiro, você tem pra você e ninguem mais.
    É como se tentassemos salvar o mundo fazendo nossa infima e miuda parte, pena que tem pessoas que fazem justamente o contrário velendo por um povoado inteiro!!

    Abraço Orlando

    Carlos Monteiro
    PS: segue link no nome do meu simples (e abandonado) blog... mas ei de ergue-lo as nuvens...

    ResponderExcluir