Total de visualizações de página

Translate

Google+ Followers

sábado, 11 de dezembro de 2010

EM BELO HORIZONTE, OBRAS DE OSCAR NIEMEYER I




    Foto:   Poliana Lisboa


     Obras do arquiteto Oscar Niemeyer - Igreja de São Francisco de Assis - margem do Lago da Pampulha

     Eu não conhecia BH mas sempre que se fala naquela capital, um dos pontos de destaque é a Lagoa da Pampulha e ao ir visitar aquela capital, coloquei a Pampulha no roteiro.   No entorno do lago cujo perímetro tem ao redor de 15 km, bem cuidado e urbanizado, há bairros com ótimas casas de frente para a Lagoa.    O destaque fica por conta das várias obras do arquiteto Niemeyer como a Casa de Baile, o Museu da Pampulha, a Igreja de São Francisco de Assis e o Iate Clube.
     Diga-se de passagem, BH tem alguma preocupação em dar um certo apoio logístico aos turistas e um desses aparatos é um bem montado quiosque hexagonal com tijolos à vista nos pilares e paredes de vidro e cobertura em telhas cerâmicas.   Lá dentro, pessoas para dar informações turísticas e guias impressos para distribuição aos interessados.     Como nos vidros não ficava claro o lugar da porta, sugeri que se coloquem tarjas próprias nos vidros para evitar que as pessoas se confundam ao tentar entrar no quiosque.    Afinal, cada vez mais haverá gente da melhor idade passeando e todo o cuidado ajuda.     
    Voltando à Igreja de São Francisco.    Feita na década de 40 pelo renomado arquiteto que é comunista com um desenho super inovador, demorou para receber a benção da Igreja Católica.   Só depois de ao redor de duas décadas, passou a ser incorporada ao aparato da Diocese local.
     A igreja é pequena, foi restaurada recentemente, não tem os bancos internos e funciona atualmente mais como um pequeno museu pois o prédio em si é uma obra de arte de raro valor.    No fundo do local do altar, um mural enorme de Cândido Portinari, numa representação de São Francisco retirando as vestes num ato de rompimento com os bens materiais para viver na pobreza e fraternidade.   Só que a obra não pode ser fotografada   (falo do mural dentro da igreja).     Tem nas laterais internas pinturas em cerâmica em tom de azul como nas cerâmicas portuguesas, cenas com São Francisco e pássaros num nível e peixes mais abaixo.
     Ir na Pampulha é um convite para uma caminhada longa ao longo de sua margem e paradas obrigatórias para ver as obras do mais que centenário Oscar Niemeyer.    Valeu a pena.

Um comentário:

  1. realmente a igreja é de uma beleza incomparável! vc ve, o niemeyer, q é ateu, e mesmo assim faz uma igreja mais linda que a outra! é realmente um genio...
    uma obra de arte mesmo
    gostei mto de BH qdo fui pra lá. só não gostei da falta de noção dos mineiros pra distancia! hahaha
    bjsss

    ResponderExcluir