Total de visualizações de página

Translate

Google+ Followers

domingo, 6 de fevereiro de 2011

PARANÁ CHORANDO O LEITE DERRAMADO - GOVERNO NO MEIO!

                        

   Diz o ditado popular que "não devemos ficar chorando o leite derramado".   Por outro lado nos ensinam que temos o direito de espernear, principalmente quando a luta não é em causa própria, mas das pessoas mais simples, cujas crianças tem que ter uma atenção melhor do poder público para crescerem mais saudáveis e terem um potencial de aprendizado melhor.   Bom para elas, para a família e bom para a sociedade.
     Pois bem.    Havia um programa chamado de Leite das Crianças que tinha uma bem bolada visão social a saber.    O governo do estado do Paraná comprava o leite fresco pasteurizado dos Agricultores Familiares para fornecimento na merenda escolar e para famílias carentes com crianças, visando reforçar a qualidade da alimentação das mesmas.
     Além disso, tínhamos aqui no Paraná, como de resto no Brasil todo (e eu sou do ramo) um problema de qualidade do leite em consequência da precariedade na higiene da ordenha na propriedade rural.      O governo do estado na época do programa Leite das Crianças criou um sistema de aquisição do leite dos Agricultores Familiares e em contrapartida, havia um programa que exigia e cobrava o aumento da higiene na ordenha dos animais.    Com isso ganha o produtor de tem produto de melhor qualidade e melhor preço, ganha a sociedade que usa um produto mais seguro e saudável.     Havia uma expansão da produção de leite em todo o interior do Paraná, acompanhada da busca da melhoria da qualidade do leite como um todo.
     Eis que, segundo notícia do blog    esmaelmorais.com.br  , datada de 03-02-2011, determinado orgão do governo do estado do Paraná enviou um documento à Secretaria Estadual da Educação avisando que o leite não vem mais da fonte citada acima.     Que por falta de verba, etc., estão providenciando para se ter leite em pó.     Caso isso aconteça, vira pó, literalmente, todo um esforço de ajudar o Agricultor Familiar a produzir com qualidade o produto para as escolas em especial e para a sociedade em geral.     Quero acreditar que isto é um mal passageiro, pois abandonar um programa que vinha dando tão certo é agir contra aqueles que mais precisam do Estado.      Para dar uma conta meio redonda, de todos os produtores paranaenses, ao redor de 70% são Agricultores Familiares.    Para estes, a questão não é só econômica, mas uma questão social.    

     (foto retirada do blog    marlivieira.blogspot.com)

Um comentário:

  1. o governo da família Richa (digo isto pois a família inteira está pendurado no governo) vai terceirizara a Celepar, pois entende que tecnologia da informação não é um serviço essencial para população (ver http://blogdotarso.com/). Pelo jeito, para ele leite também não é essencial para o crescimento das crianças.
    Essencial para população é o mercado... e só.

    Anderson

    ResponderExcluir