Total de visualizações de página

Translate

Google+ Followers

sábado, 16 de junho de 2012

TREM DE SUBÚRBIO DE MAUÁ - SP





                       A foto foi retirada do Facebook    Mauá Memória   




Ao ver um cartum do ladrão assaltando um banco e a legenda de que ladrão que rouba ladrão... Me lembrei desta Croniquinha que saiu na batata quente:
Esta me fez lembrar de uma "Cronica ainda não Escrita" de Mauá, do tempo que no trem de suburbio ainda tinha um simpático guarda da ferrovia aposentado que vendia revistas e cartas de amor nos vagões. Ele era muito bem humorado, fardado, quepe e cabelos brancos e compridos, um contraste com a farda. Mas ele aposentado podia. Ele apregoava as revistas em bom som e de vez em quando se voltava para trás e numa cena de teatro dizia: Epa!! Ladrão não, quem me chamou de ladrão?!!! Eu não sou ladrão, sou um explorador. Eu ofereço as revistas e compra quem quer. Sou um explorador... 
     Isto foi lá pela década de setenta.

2 comentários:

  1. Realmente, O.L.A., saudades do "velho trem"...o trem de madeira, onde a gente usava o passe, que era picotado pelo Fiscal...confesso que, muitas vezes "gazetei" a passagem, indo pro banheiro...é, o trem tinha banheiro, até o fiscal passar.E o velhinho, que vendia também a famosa tabuada.Êle continuou por uns tempos ainda na "lagarta de aço", cuja foto vemos acima.Bons tempos, pois, hoje o que mais tem é ladrão no trem...!!!

    ResponderExcluir
  2. hahahha, q sarro! nenhuma cidade é digna sem uma figura destas

    ResponderExcluir