Total de visualizações de página

Translate

Google+ Followers

quarta-feira, 16 de abril de 2014

EVENTO EM CURITIBA SOBRE A CRISE NA VENEZUELA


Local e data:    Sede do Senge Sindicato Dos Engenheiros no Paraná.  26-02-2014

     O evento foi promovido por mais de vinte entidades progressistas da região em apoio ao governo institucional da Venezuela frente à crise política atual.
     Como anfitrião, fez a abertura do evento o Engenheiro Goulart, membro da Diretoria do Senge e ativista nas lutas pela cidadania de forma ampla e articulada.
     As entidades apresentaram no  início dos trabalhos, um pequeno vídeo institucional que foi usado na época da campanha à presidência do Hugo Chaves.
     O Goulart fez uma explanação bem sintética sobre as lutas do povo pelo mundo.   Em 1951 o Irã nacionaliza a indústria do Petróleo contrariando as potências do mundo.  Uma atitude tomada pós guerra mundial.    Contrariou frontalmente os interesses dos americanos que, através da CIA, articularam para derrubar do poder do Irã as forças políticas que haviam nacionalizado a indústria do petróleo.
     Mais pra frente, a derrubada do governo da Guatemala, Chile...
     Na atualidade as ações do imperialismo são os chamados “golpes lentos” via ações na mídia.  Vão minando quem está no poder pelo mundo e que não fazem o que é do interesse do império.     
     Lembrou o caso recente do golpe branco no Paraguai.
     No caso da Venezuela.     Chaves, do Grupo de Paraquedistas, tenta um levante em 1992.  Não consegue o intento, mas marcou sua liderança junto ao seu povo.    Posteriormente assumiu a presidência pelo voto.

     Fala da representante do governo da Venezuela
     O governo Maduro tem, nessa crise, convidado as oposições para reunião visando discutir os problemas do país.   Um dos problemas é a criminalidade.   Ela disse que a morte recente da ex-Miss foi um ato ligado à criminalidade e não um ato político nas passeatas contra e pró governo Maduro.
     Ela disse que estão espalhando que a violência tomou conta da Venezuela.   Ela disse que não.    Ela argumentou que pesquisas apontaram que 72% do povo venezuelano acha que as saídas para os problemas devem ser pelas vias democráticas.
     Destacou que a Venezuela tem ao todo ao redor de 360 municípios e os protestos que são mostrados na TV estão em 10 municípios.   Nestes há protestos de rua, geralmente em municípios onde a oposição é governo municipal.
     As forças armadas tem a missão constitucional de manter a ordem pública e em certos casos tem sido acionada dentro da lei.   Nas manifestações, quem  age com violência pode ser abordado pelas Forças Armadas.
     A oposição mais radical quer o poder na marra.   Quer derrubar o governo que foi eleito pelo voto, o que seria um golpe.      A liderança de oposição mais radical é Leopoldo Lopez que está preso por extrapolar ao incitar o povo a ações ilegais.    Quer virar herói e mártir.   Quer o foco da mídia, quer manipular os fatos.
     A Embaixada da Venezuela fez uma série de pequenos textos com fotos mostrando as manifestações e as ações que extrapolam a lei.   Também desmistifica uma série de vídeos que são montados, com episódios ocorridos em outros países, imputando ao governo Maduro contra seu povo.     Tem até uma imagem de um militar apontando uma metralhadora para um repórter.   Essa foto é real, porém o fato ocorreu na distante Cingapura.
     Tem também a imagem de um rapaz em foto normal e uma com o rosto cheio de hematomas, atribuído à repressão na Venezuela.   A foto comprovadamente é da Espanha.    Muitas outras montagens circularam e circulam pela internet imputando à Venezuela violência numa verdadeira batalha de mídia.
     Ela mostrou fotos de cartazes usados pelos opositores do governo, em manifestações, com cartazes incitando o povo a práticas ilegais.   Inclusive pedindo a deposição do governo que foi eleito e está em seu mandato constitucional.    Um dos cartazes:  MATAR UM CHAVISTA.
     Ela disse que todos os nossos movimentos de esquerda lutam contra o imperialismo.   Citou uma frase do último discurso do então presidente Chaves.

     As entidades presentes através dos seus representantes, se apresentaram à representante da Venezuela e disseram em poucas palavras, a solidariedade das respectivas entidades.   Casos do MST, Senge, PT, PCdoB, Psol, Pátria Livre (Bacelar), Professor Dimas da UFPR., PV, MAB Movimento dos Atingidos por Barragens, APP Sindicato, União Brasileira de Mulheres,  Movimento Popular por Moradia,  CTB Central dos Trabalhadores do Brasil, Movimento Quizomba, Federação Árabe e Palestina do Brasil,   Sociedade Beneficente Muçulmana (Sr.Gamal), Via Campesina, Juventude bi Projeto Popular.
   O Sr.Gamal lembrou que há uma aliança histórica entre a Venezuela e o Irã.  Apoio na fabricação de carros, tratores, etc.
     Foi dito em plenário que hoje um dos braços fortes do imperialismo é a grande mídia.
     O Jota (jornalista?) esteve em abril de 2013 na Venezuela.  Disse que o partido que representa o Chavismo  dá um show de democracia na forma de fazer política.  Lá já houve comícios com até 3 milhões de pessoas presentes.
     Foi dito que o blog da Comunicasul é um dos que desmascaram a mídia da direita da Venezuela.

     Fala do convidado Professor Igor – Disciplina de Relações Internacionais da Universidade Federal do ABC.     Ele esteve recentemente a convite da Globo News num programa da Monica Valdvoguel e ela já na abertura do programa falou uma  porção de coisas descabidas sobre a Venezuela e ele fez uma argumentação primorosa sobre aquele país e a situação do mesmo.   A fala dele está no Youtube e tem sido propagado de forma massiva pelas redes sociais.   Ele criticou inclusive a Rede Globo, na casa da mesma.
     Ele disse que a luta é grande contra as mentiras da grande mídia.   Ele já tinha estado na Venezuela nos anos 90 no tempo do neoliberalismo por lá.  Depois ele voltou pra lá em pleno andamento do movimento Bolivariano, sendo que desta vez passou três semanas por lá.   Não viu criança abandonada pelas ruas por lá.   Lá é um país pobre, mas atualmente há políticas públicas para melhorar as condições de vida dos mais pobres.   São  29 milhões de Venezuelanos na atualidade a totalidade do povo.
     Eles importaram o programa Minha Casa Minha Vida e estão implantando por lá.
     Ele disse que o povo que está protestando contra o governo lá não está reivindicando nada.   Só querem derrubar o governo eleito pelo povo.  Isto é golpismo.
     A Constituição em vigor na Venezuela foi aprovada em consulta popular por quase 80% do eleitorado votante.
     O professor disse dos truques da Cartilha da Direita Imperialista:
     1º Formar o caos – uso de mídia pelo meio.
      Exemplo disso seria o caso de um reduto da oposição na Universidade de Carabobo.  Estudantes promovendo passeatas com enfrentamento aos militares para agitar.   Os estudantes queimaram o prédio do Ministério Público da Venezuela. 
     2º Deslegitimar quem está no poder
     3º Fazer com que aconteça algum evento traumático.  Com sangue.  “Massacre”.   Está havendo uma série de provocações às forças armadas, visando criar confronto.
Tentam levar a uma situação que possa ser “vendida” como uma guerra civil e que “necessita” de intervenção internacional.
     Os atores da tentativa de golpe na Venezuela.   A classe média está sendo usada como massa de manobra.    Os cabeças das oposições pertencem aos 0,1% do topo da pirâmide social local.  Burguesia.   Casos de Lopes, Caprilez.   Chegam esses líderes a terem plano de saúde dos USA.   A alta burguesia da Venezuela chega a ter mansões com campo de golfe no “quintal”.   Tamanho é o desnível social do povo.
      Ele diz que os USA estão de olho no petróleo Venezuelano, este que está entre os quatro maiores produtores do mundo.     Olho no petróleo e na busca da hegemonia na América Latina.    A AL está se libertando da hegemonia americana.   Citou a Doutrina Morrow – segundo a qual, “a A.Latina para os Americanos (USA)”.    Segundo ele, não é pouca coisa que está em jogo e o conflito na Venezuela é o olho do furacão nessa batalha maior pela hegemonia.
     No regime bolivariano foram criadas onze novas Universidades.
     O professor disse que no Brasil, onde também a grande mídia se bate contra o Governo atual da Dilma e mesmo ao do Lula, estes não conseguiram tomar atitude para mudar essa situação.  
     Ele citou um caso dentro das ações das oposições nas manifestações na Venezuela.  Um general reformado que apóia os oposicionistas colocou no twitter uma “dica” para atingir os que tentam (comumente em motos) se opor aos excessos nas manifestações das oposições nas ruas.   A dica era para a pessoa colocar a 1,20 m do chão, um fio de arame farpado (para degolar quem vem de moto) na manifestação.     Com essa dica, já morreram três pessoas que agiam para evitar os excessos nos protestos de rua.    Na ocasião o militar estava no teto do prédio onde mora resistindo à prisão pelos seus atos.
     Uso de guarimbas – barricadas no meio das ruas.
     Disse que a mídia não mostra que o povo venezuelano está em mutirão fazendo a limpeza das ruas, desimpedindo as ruas, etc. para que a vida flua normal no ambiente transtornado pelos protestos violentos das oposições.
     Disse que poderíamos aqui no Brasil manifestarmos nossa solidariedade ao povo venezuelano.   Que o nosso apoio (vizinhos que somos) seria muito importante para o governo da Venezuela na situação atual.     O governo brasileiro não se manifestou ainda de forma mais incisiva no caso.   Tem endossado apoios da Unasul União das Nações do Cone Sul.
O povo do longínquo Vietnã enviou à Venezuela votos de solidariedade ao governo bolivariano e ao povo.
     Foi dito no evento que espera-se que este seja um passo no sentido de criarmos novas ações que venham a demonstrar apoio aos Bolivarianos da Venezuela.
     Citaram que o Maradona se colocou na TV em pronunciamento apoiando o povo Venezuelano  do governo Maduro.
     Foi dito que o senador Álvaro Dias recentemente colocou na rede social mensagem contra os bolivarianos, o que é lamentável.

     Isto foi o que consegui anotar da forma que entendi e espero que reflita de forma justa e adequada a essência dos temas levantados no evento em pauta.

          Eng.Agr.Orlando Lisboa de Almeida – filiado ao Senge Sindicato dos Engenheiros no Paraná.            orlando_lisboa@terra.com.br   (41) 99172552    






Um comentário:

  1. Eu tenho um segundo blog que iniciei recentemente para colocação de textos um pouco mais extensos com destaque para resenhas de livros lidos. Dentre os livros lidos, destaco A Ilha (Cuba), de Fernando Morais; Chávez Nuestro, em castelhano, de autoria de dois jornalistas; Dom Casmurro, de Machado de Assis . Há outros resenhas no blog e muitas outras estão apenas pendentes de colocar no word para entrar no blog. www.resenhaorlando.blogspot.com.br

    ResponderExcluir