Total de visualizações de página

Translate

Google+ Followers

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

OS TURCOS TAMBÉM TÊM ÓTIMOS ESCRITORES - COM NOBEL!

      Como já disse antes neste meu blog, o meu hobby é a leitura em particular, apesar de apreciar a arte de modo geral e fazer uns rabiscos como contista-cronista amador.    Também já disse que desde 1994 comecei, ao ler um livro, fazer os destaques daquilo que achei mais relevante e anotar tudo num caderno capa dura, sempre de 96 folhas, do tamanho de um livro, que cabe na minha biblioteca.  Hoje os caderninhos já contam com oito volumes e não abrigam só leituras, mas visitas a museus, apresentações artísticas relevantes, visitas a lugares históricos e afins.
     Hoje eu vou abir o caderninho e destacar aquilo que achei mais relevante num pequeno livro (mas grande no conteúdo) que contém três discursos do escritor turco Orhan Pamuk.  O livro se chama A Maleta do Meu Pai, editado pela Companhia das Letras, 1ª edição, ano de 2007.    Entre parêntesis, os números das páginas cujas citações aparecem no livro.
     (14)  "O segredo do escritor não é a inspiração - pois nunca fica claro quando ela vem - mas a sua teimosia, a sua paciência".
     (15) -    ..."primeiro precisa sentir a força da história acumular-se dentro de si".
     (18) -    ..."descontentamento é o traço básico que transforma um pessoa em escritor."
     (18) -  "O ponto de partida da verdadeira literatura é o homem que fecha a porta e se recolhe com seus livros."
     (19) - "Regra eterna da literatura:   É preciso ter o talento de contar as próprias histórias como se fossem histórias dos outros, e contar as histórias dos outros como se fossem suas, porque isso é literatura".
     (20) -   ..."frequentar sebos da cidade..."   (usa e recomenda)
     (21) -  ..." me sentir ansioso e de alguma forma inadequado..."
     (23) - ..."meu pai lia romances para escapar de sua vida e fugir para o Ocidente - exatamente como eu faria mais tarde".
     (24) - "o  que é a felicidade"...    (nesta página ele se estende dando um enfoque sobre a tal felicidade)
     (27) - "O escritor fala de coisas que todos sabem mas não sabem que sabem".
     (28) - "Dilemas da sociedade...  falta de terras, a falta de teto e a fome".
     (29) - ..."medos básicos da sociedade: o medo de ficar de fora, o medo de não ser levado em conta".   (eu costumo chamar isso de ânsia de "pertencer", temos que estar em sintonia com pessoas que nos são próximas)
     (30) - ..." um dia nossas obras serão lidas e compreendidas, porque as pessoas do mundo todo são parecidas umas com as outras".
     Para encerrar o capítulo de hoje (deve haver mais um ou dois, já que o livrinho é de apenas 77 páginas e de formato de bolso)
     (32) - "um provérbio turco... cavar um poço com uma agulha".       (paciência, persistência...)

                                 orlando_lisboa@terra.com.br

2 comentários:

  1. O escritor Orhan Pamuk ganhou o Prêmio Nobel de Literatura na primeira década deste milênio. Quando puder, vou ler mais obras dele.

    ResponderExcluir
  2. tenho q ler algo dele, ainda mais agora q vc e o cae falaram tanto! bjs

    ResponderExcluir