Total de visualizações de página

Translate

Google+ Followers

quarta-feira, 19 de junho de 2013

TARIFA DE ÔNIBUS E PACTO SOCIAL PONTUAL

TARIFA DE ÔNIBUS E PACTO SOCIAL PONTUAL - Era muito comum no passado nós vermos aquele desenhinho dos burrinhos amarrados, cada um em uma ponta de uma corda e dois montinhos de feno numa distância entre si, maior que a corda dos burrinhos. No começo, cada um tenta chegar até o feno mas a corda é curta. Insistem e depois se juntam, "trocam idéias" e resolvem. Vão ambos para um mesmo montinho de feno, comem juntos e depois, sempre juntos, comem o outro feno. Seria o bom senso.
Pois bem. Não chegamos inventar a roda, muito pelo contrário, mas aqui no Paraná o pessoal adotou uma solução meio "Salomônica" para uma velha queda de braço entre os produtores de leite (em geral Agricultores Familiares) e a indústria do leite. Os produtores, em grande maioria, mas eram o elo fraco na queda de braço e sempre achava que a indústria ficava com a maior parte do lucro. Depois de muito confabular, com apoio dos Técnicos, chegaram a uma solução interessante. Conseguiram criar o Conseleite, um Conselho para gerir um pacto entre as partes. A UFPr Univ.Federal do Paraná, através da sua área de Agropecuária, foi chamada para criar uma Planilha de Custo que seria aceita pelos integrantes do Conseleite (pelo pacto). A planilha (as planilhas no caso) resultaram de estudos acadêmicos que levantaram o mercado do leite, os tipos de produtos feitos com o leite, a participação de cada produto no mercado, o custo dos produtos, o custo da matéria prima (o leite, etc) e assim se chegou a números que revelam Quem está lucrando e Quanto cada um está lucrando, tanto produzindo leite, como industrializando leite. Assim sendo, as partes então negociam o preço do produto leite entregue pelo produtor, já tendo como referencial a fatia de cada um nesse mercado.
O tal pacto do Conseleite eu chamo de pontual porque é um pacto focado no produto leite no âmbito do Paraná. Outros estados vieram conhecer o Conseleite e alguns países vizinhos, idem. Nos parece uma forma bastante razoável de encarar o mercado.
Quanto às tarifas de ônibus, quem sabe caberia as partes convocarem a Universidade para fazer um estudo técnico sério sobre a famosa Planilha de Custo em torno da qual se chega ao preço da passagem de ônibus. Sabendo quanto custa e quanto é cobrado, ficaria muito mais racional a discussão em torno das tais tarifas. Depois, é saber quem paga cada parte, se o Estado (via subsidio) ou se o custo e o lucro serão pagos pelos usuários. Eng.Agr. Orlando Lisboa de Almeida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário