Total de visualizações de página

Translate

Google+ Followers

sábado, 22 de junho de 2013

MÉDICOS CUBANOS E A CARÊNCIA DE MÉDICOS NO INTERIOR DO BRASIL

       Autor:    Eng.Agrônomo Orlando Lisboa de Almeida    (deste blog)    orlando_lisboa@terra.com.br

Vou dar uma modesta opinião a respeito de médicos de fora, inclusive de Cuba, serem incentivados para atuarem em lugares mais afastados dos grandes centros no Brasil. Tenho acompanhado um pouco o tema e lido alguns livros que dão um embasamento melhor. Questão de fontes. Pois bem. Sabemos que as prefeituras das pequenas cidades, inclusive do interior do Paraná, abrem concursos e não conseguem preencher as vagas de médicos que não aceitam o salário ofertado e alegam que não tem aparatos para exames, etc. E nossos médicos estão cuidando mais da Doença do que da Saúde do nosso povo. Cuidar da saúde envolve medidas preventivas, orientação, esclarecer a pessoa inclusive para evitar a doença. Mas não vou me alongar neste pormenor.
Lendo o livro A Ilha (Cuba) do nosso renomado jornalista e escritor Fernando Morais, percebi como aquele país evoluiu na área médica, inclusive com Medicina Preventiva. Eles são craques inclusive em vacinas. O Brasil compra vacinas deles há anos por questão de preço e qualidade.
Lendo o livro Chavez, Nuestro (em espanhol - não sei se tem edição em português), de autoria de dois jornalistas cubanos, também há abordagem sobre a medicina de Cuba e o apoio que os médicos cubanos tem dado a países com graves problemas sociais e na área médica. Apoio humanitário inclusive.
Há muitos médicos cubanos que aceitariam trabalhar no interior do Brasil, em lugares recusados pelos nossos médicos conterrâneos.
Vi uma campanha querendo desqualificar os médicos cubanos sem consultar alguma Fonte adequada. É como dizer que não leu um livro e não gostou. Assim fica difícil trocar idéias.
E para completar, alguns dizem que os médicos cubanos "poderiam" ser aceitos para um prazo de três anos, desde que passassem pelo Revalida que é uma prova para ver se estão aptos. Curiosamente o CRemesp - Conselho de Medicina de São Paulo fiz um provão para os médicos recem formados no Brasil (em São Paulo) e os voluntários que se sujeitaram ao provão, teve 54% de REPROVAÇÃO. Esses dados estão todos acessíveis e é só fazer uma busca básica no Santo Google e eu mesmo já citei por aqui, amarrando com a Fonte. Pois é! 

Um comentário:

  1. Existe algo de sério quando uma profissão é guiada primeiramente pelo dinheiro. A medicina tem sido seduzida tão fortemente pela economia que hoje é mais uma enorme receita de remédios que uma prática humana. Tem algo de nebuloso na saúde brasileira, especialmente quando se nota que as outras áreas da saúde querem mais espaço e não o podem ocupar, enquanto os médicos reclamam dos "latifúndios" que ostentam. Aqueles mesmos médicos que reclamam de remuneração são os profissionais mais bem remunerados do Brasil. Das duas uma: ou o nossos descendentes de hipócrates não conhecem a realidade das outras profissões, ou miravam algo muito mais ambicioso quando escolheram as suas. Seja qual for a opção acredito que precisamos fazer algo para melhorar o acesso à saúde, pois "naturalmente" isso não ocorrerá.

    ResponderExcluir