Total de visualizações de página

Translate

Google+ Followers

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

TURISMO EM RECIFE - OFICINA/GALERIA (CERÂMICA) BRENNAND

   


   Fotos de Sonia Forsetto

  Antes de irmos a Recife a passeio, já tinhamos a dica de pessoas da família que recomendaram expressamente para visitarmos por lá dois lugares onde a cultura é marcante.    Uma delas é a chamada Oficina Brennand, que será objeto deste capítulo da viagem e na sequência, encerrando a viagem, a visita ao Museu do Instituto Ricardo Brennand   (primo do Francisco Brennand da Oficina de arte cerâmica).     Em capítulos anteriores, já abordamos neste blog outras quatro partes do passeio, pela ordem:  Porto de Galinhas, Praia dos Carneiros, Olinda Histórica e Recife Histórica.
    Voltando ao tema deste artigo:  Oficina Brennand.     É uma imensa galeria de arte cerâmica no local onde era uma fazenda com engenho de açucar no passado.   Fica dentro da cidade de Recife, mas é um lugar com muita mata nativa preservada e 3 km de estradinhas para se chegar à sede da Oficina, que foi uma cerâmica industrial no passado (telhas) e depois passou a ser o Atelier do escultor/ceramista e artista plástico Francisco Brennand.    Por sinal, tivemos a honra de conhecer o artista durante a visita ao atelier/exposição. 
     Para quem conhece em Curitiba o Museu Oscar Niemeyer, há do lado de fora do prédio em si, no pátio do lado de baixo do museu, uma obra marcante do Brennand, que se parece com uma grande cobra marron de uns cinco metros de altura.
     As dependências da chamada Oficina conta com uns cinco galpões enormes onde são elaborados os objetos em cerâmica, geralmente de médio e grande porte.    Muitos dos objetos ficam expostos na parte interna dos galpões e também nos jardins gramados e arborizados no entorno dos galpões, sendo que a área total é bastante grande e bem cuidada.   
     Visitamos a Oficina Brennand na parte da manhã toda, almoçamos na cantina próxima à portaria local e em seguida um taxi nos levou até o Instituto Francisco Brennand que apesar de ser próximo é separado por córrego e mata e então se dá uma volta para ir até o Instituto que será descrito no próximo artigo.      
     Visitar a Oficina Brennand foi ímpar e ainda por cima encontrar, bater um papo com o artista Francisco Brennad e até tirar umas fotos com ele, não tem preço.   Valeu muito a pena.   Recomendamos.

Um comentário: