Total de visualizações de página

Translate

Google+ Followers

sábado, 30 de agosto de 2014

TURISMO EM PORTO DE GALINHAS E PRAIA DOS CARNEIROS




     Duas fotos da pousada e uma das piscinas naturais de Porto de Galinhas - fotos por Sonia Forsetto

   Neste mês de agosto de 2014 fomos passar oito dias em Porto de Galinhas e Recife, metade em cada local.    Primeiro fomos a Porto de Galinhas por uma razão muito especial.   Consta que é melhor verificar sempre a MARÉ BAIXA para poder ver melhor as chamadas piscinas naturais que se formam naquela praia e que faz dela uma praia especial.    A região é rica em recifes de corais que formam algo como uma muralha paralela à praia, ficando quase submersos na maré alta e mais aparentes na maré baixa.   Quando a água está baixa, os recifes aparecem melhor e, de forma controlada pelo orgão ambiental, as pessoas podem ir até os recifes ver os peixinhos que ficaram por hora "presos" nas piscinas naturais.    Sempre tem que haver muito cuidado para não pisar em ouriços do mar ou mesmo se cortar com partes do recife calcáreo que parece rocha.     No caso eu usei uma sandália emborrachada que deu estabilidade e segurança.   Os chinelos de dedo são emborrachados mas não tão estáveis em piso muito irregular.
     Em algumas piscinas naturais dá para nadar (sempre rasas) entre peixinhos coloridos.   À tarde, ao subir da maré, as piscinas são encobertas pelas águas e os peixinhos seguem o rumo do mar adentro.
     Nessa região das piscinas naturais há jangadas para passeios seguros, já que os recifes formam uma barreira natural que segura as ondas e entre os recifes e a praia é raso e sem ondas.   Fica um verdadeiro piscinão democrático, onde "nada" quem sabe tudo e nada quem não sabe nada de natação.
     Ficamos no Hotel Armação beira mar com uma infraestrutura excelente.  Fica distante uns 1.700 m das piscinas que são vistas à direita de quem olha para a praia.    Fizemos caminhada à pé pela praia da pousada até a "Vila" (como eles chamam o povoado de Porto de Galinhas que pertence ao município de Ipojuca-PE).   Há muitos hoteis e pousadas por lá.
     O povoado é relativamente bem estruturado e tem restaurantes para todos os gostos e os preços são razoáveis.  Tem até um pequeno "calçadão" onde os pedestres caminham no centro da Vila sem a presença dos carros, o que é ótimo.
     Então os quatro dias de Porto de Galinhas ficaram por nós assim divididos.  O primeiro dia foi da viagem de Curitiba a Recife por via aérea com conecção em São Paulo e translado de Recife até a pousada (110 km) em Van contratada via agência de turismo de forma prévia.   O segundo dia, foi a visita ao local da "Vila" onde ficam as piscinas naturais e o passeio pelas piscinas sem pressa.    Belas fotos do povo por lá, das jangadas e da praia com os recifes de corais.
     No terceiro dia, como tínhamos agendado previamente numa agência de turismo local, fomos conhecer (ônibus fretado) a Praia dos Carneiros, que fica num local bem "natureza".     Vou em seguida fazer uma matéria sobre a visita à Praia dos Carneiros que tem altas belezas naturais e particularidades.  Vale a pena também, assim como Porto de Galinhas.
     No quarto dia, voltamos para Recife, cujos passeios ao centro histórico de Recife e Olinda terá capítulos próprios aqui no blog em breve.    Visita também à Oficina Brennand e Instituto Ricardo Brennand.   Lugares ímpares.
     Não dá para deixar de registrar a arte do artesão Carcará.   Sua marca registrada é o conjunto de esculturas de galinhas feitas em troncos de coqueiros secos, sendo que as esculturas estão espalhadas pelas calçadas do centro da Vila de Porto de Galinhas.   Só nos faltou visitar o atelier dele.

3 comentários:

  1. Em tempo - Consta que no tempo dos escravos, o comércio do tipo já estava na mira das autoridades e aportavam pela região, inclusive neste local, navios trazendo escravos escondidos pelos porões das caravelas. Eram também trazidas da África as aves chamadas de Galinha da Angola ou Galinha Guiné, que era uma carne apreciada pelos colonizadores. Então a senha era dizer que no porto chegaram "galinhas novas" e já se sabia que se tratava de remessas de escravos chegando.

    ResponderExcluir
  2. Disso que consta acima, resultou que o lugar ficou conhecido então como Porto de Galinhas.

    ResponderExcluir
  3. Prezado Sr. Orlando, saudações,

    Ficamos felizes em podermos fazer parte dos momentos mágicos vividos pelo senhor e os seus neste paraíso que a natureza nos premiou que é Porto de Galinhas. O hotel Armação está de braços abertos para recebe-los em uma outra próxima ocasião, afinal, Porto de Galinhas é Ar + Mar + Ação = Armação !!
    Atenciosamente,
    Luiz Carlos da Silva
    Gerente Geral
    Grupo Armação
    ggeral@grupoarmacao.com

    ResponderExcluir