Total de visualizações de página

Translate

Google+ Followers

sábado, 1 de dezembro de 2012

O EXERCÍCIO DA CIDADANIA, O BÊBADO E O POSTE


O EXERCÍCIO DA CIDADANIA, O BÊBADO E O POSTE. Primeiro vamos à piadinha do bebado e o poste. Consta que o bêbado estava tão mal que se abraçou num poste para não cair. Estava lá com o mundo rodando na cabeça e já não aguentava mais. Ouviu prosa de um grupo de pessoas que passava na rua e tascou: - Sai de perto que eu vou largar essa merda aqui... Como se o poste fosse cair e não o bêbado.
Pois bem. Ontem tinha aqui na cidade um bom espetáculo de fim de ano de uma renomada Academia de Dança (Daisa Poltronieri) e eu até pensava em ir lá prestigiar o evento, inclusive pelo fato de que estava sendo usado no cenário o mote do livro Terra Crua, de um autor local, falando da Maringá dos anos 50. Mas no mesmo horário tinha a reunião do condomínio do meu prédio e o assunto era a exposição do trabalho de dois engenheiros sobre manutenção Civil e Elétrica do prédio. Optei por cuidar do nosso prédio. Após o trabalho, aula de in
glês já em seguida e depois, sem janta, direto da aula de inglês para a dita cuja reunião. Para discutir e decidir tudo fomos das 20 até perto das 23 h. Hoje cedo estou descendo o elevador e um jovem casal vizinho perguntou para uma amiga minha que também mora no prédio, sobre como foi a reunião. Antes dela responder, ele disse: Como sempre o pessoal não decide nada, não resolve nada. Eu argumentei que a reunião houve e foi bastante produtiva. Decidimos as obras a fazer, os custos a arcar, a ordem das obras, as pessoas que acompanharão as mesmas e a chamada de capital. Então é assim: a gente sua a camisa para que as coisas sejam feitas com capricho e alguém que não tem noção do trabalho que deu e dá e vem criticar como no caso do livro que a pessoa não leu e não gostou. Um cara desses tem que ir plantar batatas, para não ser mais deselegante! E olha que está cheio de gente que só critica e nada faz. Inclusive no Facebook!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário