Total de visualizações de página

Translate

Google+ Followers

sábado, 20 de março de 2010

VISITANDO ANGRA DOS REIS - USINA E CIDADE

Numa das nossas férias em família, decidimos visitar Paraty. Partimos de Mauá-SP e optamos por seguir pela Dutra até perto de Aparecida e de lá seguimos rumo a Cunha-SP onde meu cunhado tem uma casa de campo. Cunha fica há mais de 1.500 metros de altitude em relação ao mar. Muito verde, montanha e sossego. De Cunha, descemos a serra rumo a Paraty e na descida tem uns 10 km sem asfalto porque a estrada corta um Parque Ecológico. Dia de chuva, estrada lisa, mas descemos bem com nossa Parati. Valeu a experiência de dirigir na lama, afinal isto faz parte do "cardápio" da minha profissão de agrônomo.
Ficamos em Parati, visitamos o centro histórico, passeamos de barco pelos arredores. O que não tem na cidade é praia legal. Só mais retirado da cidade, que era deficiente em esgoto e no calor o cheiro dos bueiros era bem forte. O ponto negativo do lugar, que vive do turismo.
Num dos dias, resolvemos dar um pulinho de um dia apenas para dar um giro pela cidade de Angra dos Reis, tão mostrada nas Novelas e outras badalações da TV. Pouco antes de chegar na cidade, se localiza a Usina Nuclear de Angra e resolvemos dar uma paradinha para conhecer a obra singular. Como de costume, gastei um tempinho razoável para ler os painéis do local de recepção de visitantes, afinal a usina fica ao lado da rodovia. E de troco, peguei umas publicações explicando detalhes da usina. Seguem alguns, que para mim são curiosos. Por que de uma usina nuclear ao lado do mar, perto de um possível inimigo externo. Eles explicam que na obra haviam peças de grande porte e peso enorme e não teria como transportá-las por estradas, que as pontes não suportariam o peso. E sabemos que hoje há mísseis intercontinentais, que podem viajar milhares de quilômetros até o alvo. Longe ou perto da costa, o risco seria quase o mesmo. Um outro fator é que nesse tipo de usina, no processo de geração é aquecida água em abundância e precisa também de muita água circulando pelo sistema para refrigerar os equipamentos. E o mar ali do lado, tem água para toda a demanda. Há, segundo consta, um sistema de monitoramento rigoroso da água para que esta não contenha radiação nociva ao meio ambiente.
Conforme vimos, tudo isso não deixa de ser curioso, ao menos para mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário